Balneário Camboriú espera há mais de 50 dias por habilitação de UTIs

A saúde de Balneário Camboriú espera a mais de 50 dias pela habilitação de 6 leitos de UTI criados no dia 6 de julho e 8 dias pelos 4 leitos ativados no dia 14 de agosto.

A solicitação ao Estado para habilitação via SUS dos 6 leitos aconteceu no dia 6 de julho e os 4 leitos, criados em parceria com entidades socais do município, foi solicitado no dia 20 de agosto.

O Estado alega que não tem previsão do Ministério da Saúde para habilitação destes leitos. A habilitação é importante para cobrir o custeio destas unidades, já que elas estão disponíveis para todos os municípios, mas estão sendo custeadas por Balneário Camboriú.

O número de leitos de UTI disponíveis, e habilitados, é uma das condicionantes para os critérios de avaliação das matrizes de risco. A importância de ter os leitos habilitados não serve apenas para o custeio do mesmo, mas também para uma avaliação mais real perante do estado da situação do covid na cidade.

Controvérsia

Hoje o município conta com 30 leitos de UTI disponíveis exclusivamente para tratamento de pacientes de COVID. Apenas 20 deles estão habilitados no SUS e recebem valores para custeio. Os outros 10 são bancados com recursos do município.

Para atendimento geral, o Centro Covid de Balneário Camboriú tem 30 leitos para Covid. Já na matriz de risco a contagem é somente de habilitados, que mostra uma situação piorada. Enquanto os leitos não são habilitados, na matriz de risco, a ocupação é maior do que a realidade, tornando a avaliação mais crítica.

Por exemplo, hoje (28) a ocupação dos leitos de UTI no Centro COVID de BC é de 12 pessoas, que corresponde 46,6% dos leitos disponíveis, uma situação confortável.

Se for avaliar pelo número de leitos habilitados, que são 20, os mesmos 12 leitos corresponderia a 60% dos leitos totais, que na visão do estado, torna a situação delicada.