Balneário Camboriú tem 965 focos do mosquito e 96 casos de dengue

Os agentes da Vigilância Ambiental estão vistoriando, nesta semana, os bairros Municípios e Barra, com o objetivo de orientar os moradores a verificarem suas residências, buscando eliminar os criadouros do mosquito Aedes Aegypti que se formam em recipientes com acúmulo de água.

Atualmente, Balneário Camboriú registra 96 casos de Dengue, sendo 24 autóctones (contraídos dentro da cidade), 26 indeterminados, dois importados (contraídos de fora do município) e 44 em investigação. Além de um caso Chikungunya indeterminado. Nas regiões que possuem casos confirmados, o Programa de Combate à Dengue promove a aplicação de inseticida, conhecido como “fumacê”.

Ao todo, são 965 focos do mosquito espalhados pelos bairros da cidade. O Centro soma 234 e é o bairro com mais focos da doença, seguido pelos bairros Nova Esperança (100), Nações (87), Barra (66) e Ariribá (62). A Vigilância Ambiental recomenda aos moradores a eliminação dos criadouros de mosquitos, o uso de inseticidas aerossóis, encontrados facilmente nos supermercados, e o uso do repelentes para proteção contra a doença.

A equipe atende denúncias feitas à Ouvidoria Municipal, pelos telefones (47) 3267-7024, 0800 644 3388, ou Whatsapp (47) 99982-1979.

Os principais sintomas da dengue são:

— febre alta, de 39 °C a 40 °C, de início abrupto;
— dor de cabeça;
— fraqueza;
— dores no corpo;
— dores nas articulações;
— dor no fundo dos olhos.

Ao perceber os sintomas deve procurar o serviço de saúde imediatamente.

Métodos de prevenção:

— evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;
— mantenha lixeiras tampadas;
— deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
— plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água;
— trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
— mantenha ralos fechados e desentupidos;
— lave com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
— retire a água acumulada em lajes;
— mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
— evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue;
— denuncie a existência de possíveis focos de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde;
— caso apresente sintomas de dengue, chikungunya ou vírus da zika, procure uma unidade de saúde para o atendimento.