Berlim é encontrado são e salvo no morro do Careca

O cão comunitário Berlim, que estava desaparecido da Praia Brava, em Itajaí, desde a manhã desta terça-feira, foi encontrado por volta das 15h30 no morro do Careca. Berlim tinha sido visto pela última vez na companhia de Orelha, outro dog comunitário que comeu comida envenenada e morreu na manhã desta terça.

Como Berlim estava desaparecido, os moradores estavam preocupados que o pior também tivesse com ele também, mas Berlim foi encontrado aparentemente bem. Ele foi levado ao veterinário para fazer exames.

Laiana Daniela Dumke, 32 anos, a Dani, professora de educação física e moradora da avenida Carlos Drumond de Andrade, é uma das moradoras que cuidava de Orelha desde o ano passado. Segundo Dani, Orelha foi encontrado agonizando na praia. Ela chegou a levá-lo para o veterinário, mas ele já estava morto.

Dani acredita que alguém matou Orelha porque ele era muito maroto. “Eu me apaixonei por ele. Castrei ele no meio do ano, coloquei a plaquinha de cão comunitário e muita gente amava ele. Ele era muito moleque e muito gostoso, mas tinha gente que não gostava”, explica.

A professora revela inclusive que pessoas já o tinham ameaçado de morte. A veterinária contou pra Dani que o veneno usado em Orelha era forte e teve efeito rápido. Dani vai cremar o corpo do amigão de quatro patas e registrar um boletim de ocorrência para que o crime seja investigado. Ela também está organizando um protesto na quinta-feira.

A partir das 15h, ela jogará às cinzas de Orelha no mar como uma homenagem ao cão comunitário. Logo em seguida será feito uma manifestação para chamar a atenção das pessoas contra o envenenamento de animais na Brava. “Não é o primeiro que envenenaram na praia Brava. Quero que as pessoas se conscientizem do que estão fazendo e precisam saber que isso não é normal”, explicou.

Maltratar ou matar animais é crime ambiental.

 

Por Diarinho

Comente Abaixo