Camboriú é a quarta cidade com mais crianças fora da pré-escola

Camboriú está entre as quatro cidades de Santa Catarina com o maior número de crianças de 4 e 5 anos fora do ensino escolar obrigatório. É o que aponta estudo do ministério Público. Em toda Santa Catarina, seriam 27,2 mil crianças nessa condição.

O estudo avalia o cumprimento dos planos municipais de educação de todas as cidades catarinenses. Isso inclui as metas de criação de vagas que constam dos planos, que foram aprovadas em todas as cidades como leis municipais.

Em Camboriú, a meta era que até 2016 100% das crianças de 4 e 5 anos estivessem na pré-escola. No entanto, pelo levantamento do MP e do TCE, até o ano passado, das 2975 crianças naquela faixa-etária, apenas 1956 estavam matriculadas no pré.

As 1019 crianças que não fizeram matrícula representavam, em 2018, 34,2% do público da pré-escola. As outras cidades com maior número de crianças fora do pré eram Joinville (1789), Palhoça (1471) e Blumenau (1153), somando 4.413 crianças fora da pré-escola.

Camboriú aparece em quarto no ranking, com 1.019 crianças excluídas do ensino, e Araquari em sétimo, com 854 crianças fora da escola, ficando na frente de grandes cidades como São José (737 crianças) e Lages (421).

Confira o relatório completo por município: https://www.mpsc.mp.br/programas/relatorios-planos-municipais-educacao

O MP vai começar agora a pressionar as prefeituras para o cumprimento das metas.

Sem fila de espera

Alexsandra Vitorassi, secretária de Educação de Camboriú, informa que a cidade tem hoje 2196 crianças matriculadas na pré-escola e há vagas, ainda, em algumas unidades. Segundo ela, este ano foram criadas 240 outras. Para o ano que vem, a meta mínima é abrir mais 100 vagas.

De acordo com a secretária, há o problema dos pais não saberem que a pré-escola é obrigatória e também há muitos que recusam as vagas por considerarem que elas não são perto de suas casas. Atualmente, afirma, não há crianças na fila de espera por vagas, a não ser aqueles casos em que os pais fazem questão de matricular a criança em determinada unidade.

Em relação às creches, os municípios da região não figuram no ranking das cidades com maiores problemas.

 

Por Diarinho

Comente Abaixo