Camboriú vai contra recomendação da DIVE para avançar na vacinação

Muitos tem comentado que Camboriú tem sido “exemplo” em vacinação na região, pois não havia faltado vacinas e tem avançado rapidamente nas idades. O fato me levantou uma curiosidade tremenda e resolvi ir atrás de informações de como realmente anda a vacinação no município.

O fato de não faltar vacina, mesmo com os atrasos nos envios que ocorreram nos últimos dias, já é um sinal de alerta muito grande, afinal, a DIVE quando distribui as doses usa uma estimativa de população para cada idade. Essa estimativa, na maioria dos casos, está subdimensionada pois o número de doses enviadas é geralmente menor do que a população da faixa etária.

A verdade é que a saúde de Camboriú tem avançado as idades sem aplicar o percentual mínimo de cada idade recomendado pela Divisão de Vigilância Epidemiológica do Estado (DIVE-SC), transmitindo um “falso sucesso” na aplicação dos imunizantes contra a COVID-19.

Dados do Ministério da Saúde até 12/09/2021

Um caso que chama atenção é que pouco mais de 75% da população acima de 80 anos foi vacinada tanto com a primeira como com a segunda dose. No caso da população de 20 a 24 anos, apenas 62,38% tomaram a primeira dose, assim como 18 e 19 anos que apenas 68,25% tomaram a primeira dose. Mesmo assim, a prefeitura avançou para adolescentes e está vacinando acima de 16 anos.

De acordo com as Notas Técnicas publicadas pela DIVE-SC, a recomendação é que o município aplique as doses em, no mínimo, 75% das pessoas da faixa etária antes de avançar para nova faixa, o que não tem acontecido em Camboriú.

É fato, que abaixo dos 34 anos a adesão a vacinação tem encolhido cada vez mais e o poder público não tem conseguido engajar a população para que se vacine. Numa tentativa de pintar um cenário cheio de flores, mas que não existe, a prefeitura transparece que está tudo bem, deixando a população na zona de conforto.

Não adianta divulgar que tem batido recordes de doses aplicadas. Vacinar pouco mais da metade de cada faixa etária não imuniza o grupo num todo e o número de casos e mortes vai continuar subindo, pois é uma falsa sensação de segurança.

PIORES ÍNDICES

Toda essa jogada e maquiada nos números, no mundo real, faz com que Camboriú apresente um dos piores índices entre as cidades da AMFRI no percentual da população vacinada com a primeira dose e a pior na aplicação da segunda dose.

As manchetes podem até ludibriar, mas os números não mentem. Quem quiser buscá-los, pode acessar os links abaixo:

https://subcomitecientifico.ifc.edu.br/
https://qsprod.saude.gov.br/extensions/DEMAS_C19Vacina/DEMAS_C19Vacina.html

Dados subcomitê científico do IFC relativos até o dia 11/09/2021
Dados subcomitê científico do IFC relativos até o dia 11/09/2021

.


Camboriú vai contra recomendação da DIVE para avançar na vacinação
Poucas e Boas – Por Gian Del Sent