Carne de cavalo era comercializada por abatedouro clandestino no sul do estado

Operação em Imarui prendeu dois e fechou abatedouro clandestino. (Foto: Polícia Civil)

Um abatedouro irregular de animais, situado no Sítio Novo, em Imaruí, no Sul de Santa Catarina, foi descoberto pela Polícia Civil nesta sexta-feira (14). Dois homens foram presos na ação, que envolveu as delegacias de Pescaria Brava, Jaguaruna e Laguna, com o apoio do PPT da Polícia Militar de Tubarão.

Segundo a Polícia Civil, os presos relataram  que cortavam e revendiam carnes de cavalos para a comercialização em um açougue em Tubarão.

Após investigações realizadas a respeito de furtos de gado na região, foi descoberto um possível local onde esses animais estariam sendo abatidos e cortados para a venda, situado na localidade de Sítio Novo, interior de Imaruí, que passou a ser monitorado.

Policiais civis de Pescaria Brava e Jaguaruna receberam a informação de que dois homens estariam no local com animais para o abate. Com isso, se deslocaram até o lugar e acionaram o apoio tático do PPT de Tubarão.

No local, foram flagrados dois homens carneando um animal içado, dois barris com carnes já selecionadas e restos de animais. Os homens informaram que os referidos animais não eram bovinos, mas sim equinos, e que seriam destinados a um açougue situado em Tubarão, pelo valor de R$ 7 o quilo.

Ainda conforme a Polícia Civil, eles relataram também que abateram dois cavalos naquela manhã, que teriam o mesmo destino, mas que, no terreno, teriam cerca de 30 carcaças enterradas, todas de cavalos.

Em razão dos fatos flagrados, a Cidasc foi chamada até local e realizou a apreensão administrativa do produto animal, cerca de 450 kg, além de autuação do responsável.

Maus tratos e crimes contra o consumo

Os homens foram conduzidos à Central de Polícia, em Laguna, onde confirmaram os fatos relatados no local e, assim, foram autuados em flagrante pelos crimes de maus tratos contra animais, em razão de terem abatido dois animais em precárias condições, e crimes contra as Relações do Consumo, já que mantinham em depósito para a venda mercadoria em condições impróprias para o consumo.

Na sequência, foram encaminhados à UPA de Laguna. Eles passaram por audiência de custódia e receberam a liberdade provisória pela Justiça.

“Tudo se iniciou em uma investigação de furtos de animais, de cavalos da região, e em razão disso foi encontrado esse abatedouro clandestino. Eles falaram em interrogatório e aos investigadores que vendiam a carne dos cavalos abatidos para um açougue de Tubarão”, afirma o delegado de Polícia, Willian Testoni Batisti, da DP de Laguna. As investigações vão continuar, ressalta o delegado.