Carro apreendido e bandido solto. Vítima de assalto denuncia descaso

O motorista de aplicativo que foi torturado durante um assalto no dia 15 de fevereiro, no bairro Itaipava, em Itajaí, está revoltado com a situação que está passando. Após duas semanas do crime, ele relata que o seu carro, um Renault Sandero, ainda está retido para perícia, enquanto que um dos autores do assalto foi visto em um mercado no bairro Cidade Nova.

“O bandido que me roubou já está solto e meu carro está preso. Eles bateram o carro e ainda vou ter que pagar todas as taxas, entre guincho e pátio. Até parece que fui eu quem fiz algo de errado”, relatou o motorista de 29 anos, indignado.

O prazo previsto pra liberação do veículo seria de 10 dias pela delegacia de polícia, mas até agora ainda não foi devolvido, segundo o motorista. Ele destaca que precisa do carro pra trabalhar. Mesmo se o carro fosse liberado de imediato, o motorista considera que ainda levaria outras duas semanas até voltar a trabalhar, pois terá que arrumar o veículo.

Além dos gastos com os reparos, ele tem as parcelas do financiamento pra pagar. “Tenho um filho de sete meses. Ou pago as contas e não tenho o que dar pra ele comer ou dou o que ele precisa pra comer e não pago as contas. É um descaso total. Eu não sei mais o que fazer”, lamenta.

A delegada Fernanda Luigi, responsável pelo caso, informou que iria verificar a situação do procedimento. Ela explicou que o prazo depende do cronograma do instituto Geral de Perícias (IGP), que é um órgão a parte da polícia Civil. Haveria necessidade de uma perícia datiloscópica no veículo, pra examinar impressões digitais deixadas pelos bandidos.

Bandidos tentaram enforcar motorista

O crime contra o motorista ocorreu na noite do dia 15 de fevereiro. Ele foi chamado por uma mulher para uma corrida na rua Pedro José João, na localidade do Matadouro. Quando chegou ao local, dois homens entraram no carro. Eles seguiram até a rua Marcos Albino, na Itaipava. Já numa área longa das casas, os bandidos tentaram enforcar o motorista com uma corda.

“Ficaram debatendo qual dos dois iria me matar. Foi quando consegui tirar a corda do pescoço, empurrei ele e sai correndo ao ver ele tentando puxar uma arma”, relatou. A vítima se escondeu numa casa próxima, onde a moradora chamou a polícia. O carro foi encontrado batido. Eles seguiram até a rua Marcos Albino, na Itaipava. O carro foi recolhido para o pátio da central de polícia Civil.

Um dos bandidos foi preso três dias depois. Foi esse homem que o motorista relatou ter visto circulando já às soltas e que seria suspeito de outros assaltos a motoristas de aplicativo na região.

Por Diarinho