Carteirinhas de vacina falsas eram vendidas para baladeiros

Um esquema fraudulento relacionado a carteiras de vacinação do Covid-19 foi descoberto em Canelinha. A investigação foi divulgada no fim da tarde desta sexta-feira, 12 de novembro.

A fraude tinha como objetivo dar acesso de pessoas não vacinadas em eventos da região que exigiam a vacinação. O esquema envolve menores de idade que cobravam pela impressão e falsificação de dados.

Dois mandados de prisão foram cumpridos na Cidade das Cerâmicas com o intuito de desarticular uma rede de pessoas que utilizavam o modelo do comprovante de vacinação do Covid-19 expedido pela secretária de Saúde do município para cometer as fraudes.

O projeto ilícito foi criado através de um grupo de “balada” que envolvia adolescentes e adultos. O pedido do cartão falso era feito através do grupo e podia custar até R$40 por documento preenchido no nome do interessado.

O cartão continha inclusive informações falsas do laboratório de fabricação da vacina, lote de emissão e assinatura do responsável pela aplicação.

Em uma das residências, onde houve o cumprimento do mandado, no quarto de um adolescente foram encontrados diversos cartões de vacinação falsos prontos para serem preenchidos, além de outros já com dados de pessoas inseridos. Esses cartões seriam utilizados para dar acesso a uma festa noturna que aconteceria no fim de semana na cidade de Porto Belo.

Uma mulher, suspeita de integrar o grupo prestou depoimento na delegacia e confessou que havia falsificado diversos cartões, porém havia se arrependido e entregou aos policiais apenas pedaços dos cartões que tinha impresso por conta própria e rasgado na noite anterior.

No total, cinco pessoas foram levadas para a Delegacia de Polícia Civil e devem prestar informações. Entre eles dois menores que foram alvos dos mandados de busca em suas residências, além dos cartões falsos, celulares e computadores foram apreendidos.

Os maiores de idade envolvidos podem, ao final das investigações, serem indiciadas por falsificação de documento público ou uso de documento falso. Os menores de idade serão apresentados à justiça no próximo mês, medidas socioeducativas serão aplicadas.

De acordo com a delegacia de Canelinha, a investigação ainda está em curso e aguardará o resultado da perícia no computador e nos celulares apreendidos,  podendo apontar outros compradores e falsificadores envolvidos no esquema criminoso.