Casal relata ‘choque’ ao encontrar corpo de bebê congelado em mochila, em Camboriú

O casal que encontrou o corpo de um bebê congelado dentro de uma mochila está em choque. O caso ocorreu na noite dessa quinta-feira (12), em Camboriú. Inicialmente, a informação era de que a vítima seria um feto, mas por causa do tamanho, pode se tratar de um recém-nascido.

A equipe da RICTV esteve no local em que o bebê foi encontrado. O caso começou quando um catador de recicláveis pediu que o casal Maicon Silva e Renata Michelli Ferreira guardasse uma mochila na geladeira. Os dois mantêm um galpão, que recebe materiais para reciclagem.

“Ele cata o reciclado e traz pra gente, que a gente compra. Quando ele chegou aqui, largou o saco de reciclados e falou ‘vou deixar essa mochila aqui que é carne, ganhei, hoje é meu aniversário”, relatou Renata sobre o catador, que disse que recebeu o material de um desconhecido. e que voltaria para buscar.

Renata, que está grávida de seis meses, resolveu tirar as carnes da mochila para organizar na geladeira

“Fui tirando e ele (o marido, Maicon) foi guardando as carnes nas prateleiras, até que de repente aparece um pacote estranho. Na hora, pensei que era um bicho, porque o formato era diferente. Aí quando eu abri, rasguei a sacola, que era de mercado, apareceu a orelhinha”, descreveu Renata.

“Quando abri o resto da sacola, ele estava dobradinho, com o bumbunzinho para trás. Deu para ver bem a boquinha, a cabecinha, ainda não tinha cabelo. Mas estava todo formadinho o bebezinho”, descreveu a mulher. O casal chamou vizinhos e acionou a Polícia Militar.

Ainda conforme Renata, o bebê era pequenino e estava com o cordão umbilical, placenta e sangue. Por isso a desconfiança de que possa se tratar de um recém-nascido ou um bebê já no período final de gestação.

O casal está chocado com a cena que presenciou. “Ninguém espera uma coisa tão absurda”, disse Maicon. “Foi tão assustador, que na hora eu nem tive consciência. Na hora, eu queria pegar o bebê congelado, porque você olha, é tão pequenininho, não teve como não chorar. Todo mundo aqui da rua chorou, foi bem difícil”, completou Renata.

Segundo a Polícia Militar, logo após a corporação ser acionada, policiais foram com o catador até a rua em que ele recebeu a mochila.

Com as características da pessoa que fez a entrega, eles chegaram a conversar com alguns moradores, mas não encontraram ninguém até o final da manhã desta sexta-feira (13). O caso foi registrado na Delegacia de Polícia Civil do bairro Monte Alegre.

O corpo foi levado para o IML (Instituto Médico Legal) de Balneário Camboriú e vai passar por exames para saber a idade exata, as causas da morte e por quanto tempo o corpo estava congelado. O laudo deve sair no prazo de 10 dias e encaminhado à Polícia Civil.

*Com informações da RICTV.

Comente Abaixo