Celesc: preparada para aumento do consumo e desligamentos por ventos e raios

A Celesc está preparada para o aumento do consumo de energia no verão e para os desligamentos da rede causados por raios e ventos. “A demanda não é problema, a Celesc tem capacidade para suprir”, declarou o presidente da empresa, Cleverson Sievert, aos representantes do trade turístico barriga-verde que participaram de encontro na sede da estatal no Itacorubi, em Florianópolis, na tarde desta quinta-feira (1º).

Segundo Cleverson, além do baixo crescimento do consumo em 2016, em torno de 0,7%, contra 3% e 4% dos últimos anos, foram construídas 12 novas subestações e ampliadas ou reformadas outras 11. “A subestação de Palhoça/Pinheira estava ligada desde o ano passado, mas com capacidade reduzida, agora opera com capacidade plena, a de Ingleses (Norte da Ilha de Santa Catarina) já está ligada e a de Balneário Camboriú vai garantir energia para a cidade pelos próximos 20 anos”, exemplificou o dirigente.

Quanto aos raios e ventos, Cleverson destacou que a incidência deles cresce cerca de 40% no verão. Para minimizar o problema, a Celesc aumentou o número de equipes que cuidam da manutenção e dos reparos nas redes. “Contratamos equipes extras para fazer frente à demanda, serão 35 novas equipes que vão atuar de Tubarão a Joinville e 11 nas regiões de Rio do Sul, Blumenau e Mafra por causa da safra de fumo”, justificou o presidente da Celesc.

O representante da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Florianópolis, Hélio Leite, elogiou o planejamento da estatal e ponderou as peculiaridades da capital. “Cerca de 80% do fluxo de turistas de Florianópolis na temporada não utiliza os serviços de hotelaria, causando um excesso de pessoas e de consumo de energia e água em unidades unifamiliares”, informou Hélio Leite.

Automação da distribuição
Para driblar os engarrafamentos da temporada, que dificultam e atrasam a ação das equipes de reparos, principalmente em Florianópolis e Balneário Camboriú, a Celesc está apostando em automação da distribuição. “O deslocamento de uma equipe pode ser logisticamente complicado, por isso estamos investindo em comando remoto de transferência de carga de um alimentador para outro. Restabelece a energia e depois a equipe vai para consertar”, descreveu Cleverson, acrescentando que a empresa já instalou 850 equipamentos de comando remoto no estado e instalará outros 290 até o final de janeiro.

Leonel Pavan (PSDB), que acompanhou o encontro, também elogiou a empresa. “É inegável que a Celesc presta um bom serviço, em Balneário Camboriú a população quintuplica na temporada e quando falta luz é um caos, é gente presa nos elevadores, motoristas perdidos nas ruas”, exemplificou o deputado.

O aprendiz e o mestre
O presidente da Celesc fez uma exposição clara e objetiva da capacidade da empresa, convencendo os integrantes do trade turístico catarinense. No meio do powerpoint, satisfeito com o próprio desempenho, Cleverson lembrou que o governador Raimundo Colombo e o vice, Eduardo Moreira, presidiram a estatal. “Quem sabe eu não tenho chance?”, brincou o presidente da Celesc.

Depois da apresentação, Leonel Pavan contou que conheceu a habilidade do presidente da Celesc com os números na época em que foi governador. “Ele era o secretário da Fazenda, mas agora vemos que entende de energia”, declarou Pavan, que aproveitou o contato direto com Cleverson para que o prefeito reeleito de Governador Celso Ramos reivindicasse ações da empresa. “O município já doou 10 mil m2 para a subestação de Palmas e agora queremos que a Celesc olhe com carinho essa obra”, cobrou Juliano Campos.

 

Vítor Santos
Agência AL
Foto: Miriam Zomer/Agência AL
Comente Abaixo