Centro de Acolhimento e Tratamento do coronavírus será aberto hoje às 19h

Começa a funcionar nesta quinta-feira (20), a partir das 19h, o Centro Municipal de Acolhimento e Tratamento do Coronavírus (COVID-19). O Centro está montado na estrutura do Pronto Atendimento do bairro dos Municípios (PA Municípios), e disponibiliza 05 leitos de UTI e 10 leitos de tratamento semi-intensivo, além de Raio X, farmácia e consultórios.

“Até o momento são 04 casos confirmados aqui em Balneário Camboriú, 22 casos sintomáticos aguardando resultado e 43 assintomáticos, todos em isolamento domiciliar. Reforço aqui a necessidade do engajamento da nossa população para que permaneça em casa. Esta é maneira de cada um fazer a sua parte para que vençamos este imenso desafio”, explicou o prefeito Fabrício Oliveira em vistoria a nova estrutura nesta manhã.

A equipe do Centro de Acolhimento e Tratamento do Coronavírus é formada por 04 médicos intensivistas (especialistas em atendimento de pacientes graves), um pediatra, 8 fisioterapeutas, 13 enfermeiros, 4 farmacêuticos, e 18 técnicos de enfermagem, que revesam atendimento 24 horas. O Centro será coordenado pelo Dr. César Meirelles.

“Teremos inicialmente cinco leitos de UTI na área de isolamento, com possibilidade de ampliação para 15 leitos, esta é a nossa meta. Estes cinco leitos que disponibilizamos inicialmente e já estão devidamente equipados”, complementou o prefeito.

Como vai funcionar

Moradores de Balneário Camboriú que apresentarem sintomas do COVID-19, ou que tenham entrado em contato com pessoas vindas de áreas onde a endemia já está em transmissão comunitária (quando não é mais possível determinar de quem vem a contaminação), ou ainda com síndromes respiratórias, serão recebidos numa primeira barreira na cancela do Hospital Ruth Cardoso. Lá serão avaliados pela equipe formada por técnicos do Hospital Ruth Cardoso e bombeiros voluntários, e encaminhados para o Centro Municipal de Acolhimento e Tratamento do COVID-19, onde passarão pela segunda triagem, esta médica.

Caso se enquadrem dentro dos critérios de avaliação determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Os que não se enquadrarem nesses critérios, serão encaminhados ao Pronto Socorro do Hospital Ruth Cardoso para tratamento adequado.

“Estas barreiras são necessárias para a proteção das próprias pessoas, para que tenham o encaminhamento mais correto”, informou a secretária de Saúde Andressa Hadad.

Comente Abaixo