Civil fecha churrascaria servia carne vencida em Itajaí

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Policiais da DFRC/DEIC no comando do Dr. Osnei, estiveram em operação de combate ao roubo de cargas e crimes contra a relação de consumo, na manhã desta sexta-feira (29), foram apreendidos grande quantidade em dinheiro e uma arma de fogo.Nesta operação foram cumpridos 10 mandados de busca e apreensão, interdição de uma churrascaria e monitorização eletrônica de oito investigados.

O esquema funcionava assim: a empresa ia até os supermercados, pegava a carne que já estava com o prazo de validade ultrapassado e, em vez de destinar o produto para uma outra empresa que transformaria o material em ração e biodiesel, o extraviava. Depois, funcionários faziam a venda para churrascarias do Estado, alegando que a carne estava em boas condições.

Segundo a operação chamada de El Patron, quatro trabalhadores da empresa eram responsáveis por separar o produto e combinar pontos de entrega com os clientes. A carne, já estragada, era armazenada sem os cuidados necessários e transportada em veículos impróprios para este tipo de alimento.

De acordo com informações do Dr. Osnei, a empresa já praticava a irregularidade há cerca de um ano e a venda do produto vencido ocorria todos os dias, em lugares diferentes. 8 tornozeleiras eletrônicas foram colocadas. Uma Saveiro e um Uno, usados para transportar a carne estragada, foram apreendidos.

A empresa irá responder por furto qualificado, receptação qualificada, crime contra a relação de consumo, por reinserir no mercado produtos impróprios para consumo humano.

A churrascaria que comprava a carne vencida fica às margens da BR-101, em Itajaí, e oferecia espeto corrido a R$16,99, também vai responder por porte ilegal de arma, além dos outros crimes. De acordo com informações apuradas pelo Portal Visse, a churrascaria seria a Galpão Gaúcho.

A vigilância sanitária esteve na churrascaria e deve fazer a interdição do local. O delegado afirmou que a Justiça já determinou o fechamento do estabelecimento