De aluno PROERD em 1999 a Aluno Soldado PMSC em 2017

Era o ano de 1999, Roice Martins de Mello era uma criança de 9 anos e cursava a 4ª série primária. Nesse mesmo ano, o 12º Batalhão de Polícia Militar iniciava as atividades do PROERD em Balneário Camboriú, tendo como instrutores o, à época, Sargento Rogério Corrêa, que acumulava as funções de P4 (Departamento de compras e manutenção de viaturas) do quartel.

O tempo passou e, 17 anos depois, em 2017, o aluno PROERD Roice entrou no 12º BPM, agora para fazer o curso de formação de soldados da Polícia Militar de Santa Catarina, após ser aprovado em um concurso público.
Além de Roice, outros 13 Alunos Soldados (dos 59 que estão fazendo o curso) foram alunos do PROERD quando faziam o ensino fundamental, e com orgulho comentam que nunca esqueceram as aulas sobre as drogas e violência.
Atualmente, o Subtenente Corrêa, com seus 51 anos de vida e 32 anos de serviços prestados na PMSC, ao ver o Aluno Soldado relembra com alegria os tempos em que ministrava as aulas do PROERD em Balneário Camboriú.

proerd-pmsc-02

O Subtenente Corrêa comenta que foi o primeiro Instrutor PROERD na cidade, juntamente com outros três policiais militares, e, à época, enfrentavam algumas dificuldades, além da falta de recursos, todavia, com muito esforço, iniciaram um dos programas mais importantes que Polícia Militar de Santa Catarina implantava em todo o Estado.
– “Era uma época difícil. Com muitas ocorrências de furtos, entre outros crimes, e a sociedade clamava por mais segurança, mas quando começamos o PROERD, a comunidade parabenizava e elogiava a Polícia Militar, confiando que o programa mudaria o futuro de muitas crianças”, comenta.

O subtenente Corrêa lembra que “era uma missão de quebra de paradigmas. Em uma época que predominava a cultura do medo, ao passo que os pais cobravam obediência dos filhos ameaçando chamar a polícia, com isso criavam uma barreira de medos e enfrentamento. Felizmente hoje em dia já mudou muito essa cultura, e as crianças já nos veem como amigos”.

Com um brilho nos olhos, o Subtenente Corrêa diz que contava suas experiências aos alunos: “Eu passava o conteúdo das aulas e contava minhas experiências de mais de quatro anos cuidando da segurança de uma penitenciária, em contato com pessoas que estavam lá por envolvimento em crimes e coisas erradas. A cada novo dia de aula, a turma já se aproximava mais, faziam perguntas. Eu explicava que os policiais estavam lá para dar segurança e para falar sobre a importância de obedecer aos pais e respeitar as famílias, dando a real noção dos malefícios das drogas. Ao final das aulas, já não havia mais medo, apenas a emoção que tomava conta de todos e pediam para que não acabasse o curso”, conta o subtenente com visível emoção.

Hoje as duas histórias se reencontram novamente, com um Subtenente terminando sua carreira e um novo soldado iniciando.

São os frutos de uma semente plantada há 17 anos.

O PROERD – Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência – com a missão de “capacitar crianças, adolescentes e adultos para resistirem às drogas e à violência, através de ações de polícia ostensiva de caráter educacional, realizada por policiais militares habilitados, em instituições públicas, privadas e comunitárias, integrando Polícia Militar, família e escola para a valorização da vida e a construção de uma sociedade mais justa, sadia e feliz”. (Conceito extraído do Planejamento Estratégico 2009)

Em 16 de Março de 2017 o PROERD catarinense completa 19 anos de História, e até o final de 2016, foram contabilizados 1.257.577 catarinenses instruídos para dizer não às drogas e à violência estando aptos a tomarem decisões saudáveis, seguras e responsáveis.

Para mais informações sobre o PROERD acesse https://www.pm.sc.gov.br/cidadao/proerd.html