Derramamento de tinta no Rio Peroba mobiliza Defesa Civil e órgãos ambientais em Balneário Camboriú

Na noite desta segunda-feira, dia 16, por volta das 19:30 horas, a Defesa Civil de Balneário Camboriú foi acionada para verificar um vazamento de um material poluente no Rio Peroba, na altura da Rua Concórdia, em Balneário Camboriú.

De acordo com testemunhas, o material tinha cheiro de tinner, solvente usado na diluição de tintas sintéticas. Populares teriam tirado uma amostra do material e ateado fogo, comprovando que se tratava de um material inflamável.

Em posse das informações, a Defesa Civil de BC acionou a GM, Emasa, Secretaria do Meio Ambiente de Balneário Camboriú (SEMAM) e o Instituto do Meio Ambiente de SC (IMA), para auxiliar nos trabalhos de fiscalização e contenção do material. No mesmo momento, por se tratar de um rio fronteiriço, foi acionada a Defesa Civil e FUCAM do município de Camboriú.

A Defesa Civil de Balneário Camboriú acionou a empresa “Vertex Oil Spill Supply”, especializada na contensão e coleta de poluidores deste tipo para realizar o trabalho de remoção, pois o material era espesso e não era absorvido pelos contentores do departamento. A EMASA ficou responsável por fazer a análise do material e determinar o tipo do poluidor.

Por volta das 21:30 horas, as equipes da FUCAM e da Defesa Civil de Camboriú chegaram ao local e iniciaram uma vistoria para encontrar a origem. O IMA, através da gerente regional Liara Padilha, constatou que o possível foco dos resíduos vinham da rede pluvial, na região das ruas Imbuia e Guamirim, no Bairro Tabuleiro.

Como a origem é de Camboriú e caberia a FUCAM fiscalizar e autuar o poluidor, a coordenação foi entregue para a Fundação por volta das 23 horas, onde os responsáveis acompanharam o trabalho da empresa e assumiram a ocorrência. A FUCAM também ficou encarregada de cuidar da parte burocrática da contratação da empresa de limpeza, para que possa ser cobrado dos responsáveis pelo derramamento posteriormente.

Acredita-se que o material seja tinta sintética, mas ainda não se sabe se o despejo ocorreu de forma acidental ou proposital, cabendo investigação para isso. O crime ambiental prevê multas pesadas para o poluidor.

A Secretaria do Meio Ambiente de Balneário Camboriú (SEMAM) e a Defesa Civil do município, seguem monitorando tanto o Rio Peroba quanto o Rio Camboriú nesta terça-feira (17), para verificar a existência de resíduos.