Desmonte da FECAM: 10 funcionários técnicos demitidos sem justa causa

A Federação Catarinense dos Municípios – FECAM, agora sob a presidência do prefeito de Araquari, Clenilton Pereira, demitiu na última quarta-feira, 03, funcionários da área técnica da entidade. Ao todo, foram quase 10 pessoas que perderam seus empregos “Sem Justa Causa”, alguns funcionários tinham entre 8 e 13 anos de trabalhos prestados à Federação.

A demissão em massa, causou surpresa e revolta, já que os funcionários foram informados da demissão por um escritório de advocacia contratado pela FECAM nos últimos tempos.

Entre os demitidos, estão a assessoria de comunicação, recursos humanos e secretaria geral, assistente de articulação institucional, recepção, assessoria técnica de projetos e convênios, entre outros. Ainda imprimiram a exoneração que circulou na mão de todo mundo a da advogada, a de assistente em ti, que estão de atestado e do assistente de comunicação que está de férias.

Em janeiro deste ano, o prefeito Clenilton Pereira foi escolhido para presidir a FECAM. Ele trouxe para a diretoria executiva, a ex-prefeita de São Cristóvão do Sul, Sisi Blind, que já presidiu a FECAM em 2018. Sisi que deixou a prefeitura em 31 de dezembro, está de mudança para a capital e foi responsável pelas demissões, que devem gerar grande multas indenizatórias aos funcionários, que em alguns casos, prometem acionar a justiça, já que há suspeita de que alguns sofriam nos últimos meses, assédio moral por parte de diretores da federação.

O médico e ex-deputado estadual, Jailson Lima da Silva, em 2020, assumiu uma função de coordenação na área de saúde, sendo intermediário com o governo paulista na obtenção da vacina Coronavac junto ao governo de João Dória. Segundo informações, Jailson e Sisi estão substituindo os antigos funcionários por apadrinhados políticos. Ex-deputados, ex-candidatos ao pleito de 2020 e parceiros de campanhas eleitorais.

Um deles é do ex-candidato a vereador em Joinville, Rodrigo Fachini, que virou assessor especial de Clanilton na FECAM, um cargo não existente, mas que foi criado para acomodá-lo.

Os bastidores internos da FECAM já não andam bons desde o ano passado. Com a pandemia, o diretor executivo da entidade, que havia entrado há pouco tempo, Rui Braun, também havia sido desligado sem motivo, gerando desconforto entre prefeitos. Rui era esposo da prefeita de São Cristovão do Sul, Sisi Blind, o que gerou especulações que o desligamento de Rui foi pessoal.

Prefeitos de várias regiões de Santa Catarina, ao saberem das demissões dos funcionários, estão buscando respostas, pois segundo eles, os funcionários eram técnicos e não políticos e mantinham a chama do municipalismo numa das federações mais antigas do país.