Dono de transportadora é preso suspeito de ter forjado roubo de carga de manganês

A Polícia Civil prendeu preventivamente em Joinville, no Norte catarinense, o dono de uma transportadora de Araquari. Ele é suspeito de liderar uma quadrilha que teria forjado o roubo de uma carga de 25 toneladas de manganês em janeiro deste ano. O inquérito foi encerrado no último dia 26, data da prisão do proprietário de 42 anos da empresa.

O motorista do caminhão também foi preso ainda em fevereiro. A investigação do caso foi feita pela Divisão de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) da Diretoria de Investigações Criminais (Deic). Os investigados foram indiciados por furto qualificado, falsa comunicação de crime, cárcere privado, coação no curso do processo e associação criminosa.

O caso começou a ser investigado depois do registro do boletim de ocorrência do caso, no dia 17 de janeiro, em Guarulhos (SP). O motorista do caminhão relatou que a carga carregada três dias antes em Joinville com destino a Pindamonhangaba (SP) tinha sido roubada.

O condutor contou ter sido abordado por criminosos, ameaçado e mantido em cárcere privado, tendo sido abandonado em Guarulhos. Mas a Polícia Civil concluiu que o material, avaliado em R$ 400 mil, não chegou a sair do estado: o motorista teria simulado o roubo e, com outras pessoas, furtado a carga.

Prisões

A polícia cumpriu mandados de busca e apreensão em Araquari e Joinville no dia 11 de janeiro, e prendeu temporariamente o motorista, localizado na rodoviária de Joinville. No dia 15 foi decretada a prisão preventiva dele.

Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão no apartamento do suposto líder do grupo, ele teve ajuda da companheira e invadiu o apartamento da vizinha pela janela da cozinha, mantendo-a em cárcere privado. O suspeito saiu do local somente horas depois, já à noite.

Em nova busca e apreensão em 15 de fevereiro, foram apreendidos documentos e objetos, um carro Sandero usado no crime e estimulante sexual. No dia 26, o dono da transportadora foi localizado em Joinville.