E a FECAM continua fazendo lambança (PARTE IV)

Num histórico de anos com eleições de consenso, pleito da FECAM deste ano gera impasse e insegurança no municipalismo catarinense

Não é de hoje que esta coluna vem denunciando uma série de coisas suspeitas na Federação Catarinense de Municípios, a FECAM.

Após a eleição pra lá de suspeita, onde todas as chapas de oposição foram impugnadas, esperei mais um tempo para ver o que acontecia e nada mudou. Até acredito que está um pouco pior. Toda a turma de “amiguinhos de Clenilton” continuam com seus contratos a todo valor na instituição. Se bem que a chapa “eleita” foi uma chapa de “continuidade”, tipo uma turma da situação.

Aliás, tenho recebido muitas informações que confirmam tudo que foi falado anteriormente nas colunas que escrevi, inclusive os vínculos entre os “contratados”. Tem até contratado para uma coisa, ajudando equipe de outra contratada para outra coisa. Mas aquelas ajudas tipo “tamo junto”, mesma equipe, se é que me entende.

A única coisa que mudou foi alguns “arregos” a um dos contratados que foi cortado e um apartamento que haviam alugado para servir de pousadas para os contratados pernoitar nas visitas na capital. Isso mesmo, os terceirizados tem hospedagem, reembolsos, transporte, tudo bancados pela FECAM.

TRANSPARÊNCIA 

A transparência da FECAM é simplesmente zero. Os contratos não são atualizados desde outubro do ano passado. O último balancete publicado foi o de janeiro, durante a eleição da nova diretoria que segue com as antigas práticas.

Por falar em contratos, até a assessoria de imprensa que já mudou faz tempo, não tem nada. José Augusto Gayoso, que prestava o serviço via contrato com a FECAM, saiu em dezembro do ano passado e até agora nem mesmo o distrato foi publicado no site. Inclusive Gayoso já está até pendurado, quase na hora de sair, na prefeitura de Balneário e o distrato nada de ser publicado.

Algo que poucos sabem, o Jornalista Upiara Boschi, ex NSC, foi contratado assessor de imprensa da FECAM em dezembro do ano passado e seu contrato também não foi publicado. Em janeiro conversei com ele, alertei sobre a falta de atualização dos contratos no site, disse que entraria na “pauta de cobranças internas” mas pelo jeito não adiantou muito.

DESISTIU

Por falar em FECAM, o ex presidente e prefeito de Araquari, Clenilton Pereira, em um discurso de quase uma hora e meia na Câmara da cidade, onde fez MUITA propaganda do seu governo, anunciou que não irá concorrer a vaguinha na ALESC. O discurso contou com palavras de baixo calão, piadinha, choro (muito choro) e ameaças por tabela a quem o critica.

Nesse oba-oba de querer aparecer, teve até viagem internacional atrás de vacina que nunca sequer chegou ao Brasil. Os prefeitos que assinaram a intenção estão até hoje esperando a Sputnik V. Aliás, foi força de viagem e diárias pelo estado para promover o próprio nome. As contas da FECAM, mês a mês no vermelho, que o diga.

De acordo com informações do portal Canal SC, Clenilton foi duramente criticado por manifestantes durante a inauguração do estádio na cidade no último sábado (26). A lapada pode ter pesado na decisão.


E a FECAM continua fazendo lambança (PARTE IV)
Poucas e Boas – Por Gian Del Sent

Publicidade