Eleições 2022, surpresas, retornos e debandadas

Semana terminando com dias aparentemente calmos mas intensos nos bastidores da política local e regional. Dizem que águas calmas são profundas e acredito que as movimentações políticas também.

Luto 

Quero deixar meu mais profundo sentimento de pesar para a família do prefeito Fabrício Oliveira que perdeu o seu patriarca nesta semana. Seu Zé, como era conhecido, lutou fortemente até o último minuto contra as debilidades que o assolaram em decorrência da idade. Bravamente, descansou. Força e resiliência à família.

Retornando

Quem deve retornar para a administração municipal nos próximos dias é a ex-secretária de administração Karine Gomes. Pessoa de confiança do prefeito, Karine passou os dois últimos anos fazendo parte da equipe do BRDE em Santa Catarina, onde atuava diretamente com a diretoria de comunicação da entidade. Tenho a informação de que ela estuda uma segunda proposta a nível estado, mas tudo tem se alinhado para que ela volte para os altos da Dinamarca. Ganha o município.

Debandada

Tem um partido na cidade que deve sofrer mais uma uma debandada em breve. Os nomes e a sigla são guardados a sete chaves para não prejudicar os protagonistas neste momento, mas garanto que deve render boas risadas. O partido vem derretendo faz algum tempo as próximas baixas devem sacudir. Diz que na política até boi voa né?

Capital da Pedra

Kisuco ferveu na Capital da Pedra, em Camboriú. Acostumado a querer trabalhar com dinheiro dos outros e não pôr grana na frente pra nada, o prefeito Elcio Kuhnen está sendo protagonista da segunda greve da história de Camboriú. Em 2016, ano da eleição que tornou Elcio Prefeito, os servidores ficaram parados por pouco mais de 24 horas, e quem estava a frente do motim são os mesmos que hoje fazem parte do governo. Bizarro né?

No caso da Educação, o FUNDEB manda um valor para ajudar no custeio do ensino fundamental. Em Camboriú, a prefeitura precisa inteirar mais uma grana. Ai o reajuste acontece a nível nacional e a prefeitura não tem repassado para a outra ponta da linha. Essa é a estratégia de não ter que desembolsar um troco a mais e deixar tudo para o Governo Federal bancar.

Capital da Pedra II

O mesmo aconteceu com as obras das escolas que seguem agora a passos de tartaruga e com anos de atraso. A prefeitura tem que por na frente para o FNDE reembolsar, mas os bonitos querem trabalhar com o dinheiro do governo, fizeram vistorias de evolução da obra meio no migué que foram rejeitadas e os repasses não aconteceram. Anunciaram 1 milhão para as duas escolas do Cedro e Jardim Europa, mas tudo continua devagar.

Carlos Humberto segue 

Recebi a visita do vice-prefeito Carlos Humberto e batemos um papo sobre os projetos políticos, cidade, administração e eleições 2022. Questionado sobre assumir a prefeitura, ele foi enfático em dizer que assumiria em caso de renúncia de Fabrício, para trabalhar em torno da candidatura do prefeito, fora isso segue com seu projeto para ALESC.

Ele voltou a afirmar que não existe esse compromisso firmado e que essa situação deve ser discutida na hora certa. Neste momento, ele segue trabalhando e criando estrutura em todo o estado, como vem fazendo há mais de um ano.

E o Piriquito?

O ex-prefeito Edson Piriquito está em um sério dilema. Se ficar o bicho pega, se ficar o bicho come. Se ficar no MDB, vai ter que angariar muitos votos para tentar uma suplência. Sua base de apoio em Balneário Camboriú derreteu nos últimos anos, principalmente pelo comportamento sem noção do ex-alcaide. Se ele for para um partido menor, corre o grande risco de perder os votos que tem no MDB, não vai poder contar com grandes bagrões da política catarina fazendo fotos juntos e capaz de não chegar nem a metade dos votos que teve em 2018.

Embora ele andou tomando um café com um membro do diretório do PRTB de Balneário Camboriú, é bem difícil que ele pule para esse barco. Piriquito se declarou de esquerda quando apoiou Haddad para o segundo turno das eleições de 2018. Já pensou ele prestando continência para Hamilton Mourão?


Eleições 2022, surpresas, retornos e debandadas
Poucas e Boas – Por Gian Del Sent

Publicidade