Em abril, especialistas previam 50 mil mortes por COVID em SC

No dia 10 de abril deste ano, especialistas da UFSC publicaram um estudo que projetava mais de 1,4 milhão de mortes no Brasil, sendo mais de 50 mil somente em Santa Catarina.

O número foi atingido após analisar tendencias internacionais que apontariam uma taxa de óbito de cerca de 0,7% da população. O material foi publicado pelo Portal Visse no dia 13 de abril. 

O material completo pode ser conferido aqui: https://noticias.ufsc.br/tags/mpsc/

O estudo foi realizado por um grupo formado por engenheiros e matemáticos da Universidade Federal de Santa Catarina (campi de Florianópolis, Blumenau e Joinville) e da Univille de Joinville, e pelo professor Oscar Bruna-Romero, do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia da UFSC, preparou uma análise técnico-científica, encaminhada no dia 10 de abril ao reitor da UFSC, Ubaldo Cesar Balthazar.

Na ocasião, os dados foram encaminhados ao Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

Nenhum outro estudo de “atualização” foi publicado pela UFSC de lá para cá.

A realidade

Hoje, mais de 4 meses após a publicação do estudo dos especialistas da UFSC, o Estado de Santa Catarina tem 2142 mortes pelo coronavírus. O número é sim uma tragédia, mas não chega a 5% do anunciado pela UFSC.

No Brasil, em que o estudo previa 1,4 milhão de óbitos, registra hoje 117.665 óbitos em decorrência do coronavírus. O número não chega a 10% da previsão do estudo divulgado pela UFSC.

Conclusão

Analisando o estudo e a realidade da pandemia no país, é possível chegar a duas conclusões: Ou as medidas se segurança sanitária adotadas no Brasil e em Santa Catarina deram certo e achatamos, muito, a curva de contágio e óbitos previstas.

Ou a previsão dos especialistas era catastrófica demais e não havia possibilidade alguma de se concretizar.

Com a palavra, os especialistas.