Em carta aberta, entidades defendem hotelaria e eventos em SC

decisão judicial que obrigou o governo de Santa Catarina a adotar regras mais rígidas contra a Covid-19 gerou reclamação do setor hoteleiro. Em uma carta aberta divulgada na tarde de segunda-feira (28), órgãos do segmento pediram “bom senso” dos catarinenses para apoiar a liberação da capacidade máxima de ocupação na hospedagem e na realização de eventos corporativos.

Na sexta-feira (25), o Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) manteve a determinação de que o governo adote regras anteriores, que são mais rígidas para hotéis, casas noturnas e eventos sociais.

Confira na íntegra:

Carta Aberta à Sociedade Catarinense

Os catarinenses assistem no início desta temporada ao aumento no número de casos de coronavírus. Este é um fato inegável e sobre o qual não há qualquer polêmica. Dito isso, empresas, entidades, instituições privadas e todo o trade turístico alertam para uma situação que merece uma análise livre de paixões por parte de todos nós.

Em meio à profusão de normas, decretos e decisões judiciais, os setores hoteleiro e de eventos adaptaram-se às circunstâncias. Mesmo com a evidente perda financeira que atingiu a todos, constatou-se que a única forma de manter empresas do setor abertas, ainda que com faturamento menor, seria seguir à risca os protocolos definidos pelas autoridades sanitárias. E foi o que ocorreu.

Qualquer pessoa que procurar hospedagem na rede hoteleira de Santa Catarina, de imediato receberá uma relação de protocolos a serem seguidos, que vão desde fechamento de algumas áreas comuns, passando pela redução de serviços de governança, uso obrigatório de máscaras até distanciamento em ambientes como restaurantes. Não se tem notícia de qualquer hotel que tenha fechado as portas por registro de caso de hóspede infectado. Isso porque toda a rede hoteleira sabe que o não atendimento rigoroso às normas pode levar ao fechamento do estabelecimento ou a pesadas multas.

Da mesma forma, o segmento de eventos também se adaptou às restrições. Eventos exigem planejamento prévio e qualquer possibilidade de aglomeração pode impedir sua realização. Diante disso, o setor organizou-se e até criou alternativas viáveis e modelos híbridos. São eventos extremamente organizados, com rígidos protocolos de higienização e distanciamento social.

Sendo assim, as entidades e dirigentes de instituições do setor hoteleiro e de eventos apelam ao bom senso dos catarinenses para que apoiem a decisão do governo de Santa Catarina de liberar as hospedagens, desde que seguidos os devidos protocolos, e também permitam a realização de eventos, visto que há necessidade de tempo hábil para que possam ser realizados estes eventos ainda no primeiro semestre de 2021, respeitadas as normas e protocolos sanitários.

A ação do Ministério Público pode ocasionar perdas irreparáveis ao Estado – sendo a primeira delas relacionada à insegurança jurídica, visto que nas próximas 24 horas reservas deverão ser canceladas, pagamentos antecipados terão que ser devolvidos e hóspedes serão obrigados a interromper suas merecidas férias para cumprimento de uma decisão que não leva em consideração o real esforço do setor para manter a saúde e integridade física das pessoas.

Por fim, todas as instituições aqui relacionadas pedem apoio e confiança na decisão do Governo, fruto de intenso diálogo com a classe produtiva, que está unida à sociedade catarinense na busca de uma solução que atenda à necessária preservação das vidas, como todos desejamos.

Assinam este Ofício:

– FHORESC (Federação dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de SC)
– ABIH-SC (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina)
– CDL FPOLIS (Câmara de Diretores Lojistas de Fpolis)
– FLORIPA CONVENTION (Florianópolis Convention & Visitors Bureau)
– ACATMAR ( Associação Náutica Brasileira)
– Federação dos Convention de Santa Catarina
– ABEOC – Associação Brasileira das Empresas Organizadoras de Evento
– UBRAFE – União Brasileira dos Promotores Feiras
– AEMFLO – Associação Empresarial da Região Metropolitana de Florianópolis
– CDL SÃO JOSÉ – Câmara de Diretores Lojistas de São José
– ABRASEL – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes
– ABETA – Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura
– SHRBS (Sindicato de Hotéis Restaurantes Bares e Similares de Florianópolis)
– ABAV SC (Associação Brasileira de agências de viagens de Santa Catarina)
– Sindetur SC – Sindicato das Empresas Turismo do Estado de Santa Catarina
– FECOMÉRCIO SC – Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina
– ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE FLORIANÓPOLIS – ACIF
– Instância de Governança do Turismo da Grande Florianópolis – IGRTur-GF
– FORTUR – Fórum de Turismo da Grande Florianópolis
– FLORIPA Sustentável