Empresa de Balneário Camboriú vence licitação do Zoológico e Jardim Botânico de São Paulo

O Consórcio Reserva Paulista, formado pelas empresas Oceanic Atrativos Turísticos S.A. (proprietária do Oceanic Aquarium de Balneário Camboriú), LivePark Entretenimento (controlada pelo Grupo DC Set), Turita Holding, Egypt Engenharia, Era Técnica Engenharia e Construção e Pavienge Engenharia, venceu a licitação promovida pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente, na modalidade Concorrência Internacional nº 02/2020, do tipo maior valor da outorga fixa, para a concessão do Zoológico, Jardim Botânico e Zoo Safari, pelo período de 30 anos.

O Consórcio vai constituir uma empresa para gerir os três parques de forma integrada. Zoológico, Zoo Safari e Jardim Botânico integram o Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, área de preservação permanente, com mais de 1 milhão de metros quadrados na cidade de São Paulo. Além dos parques, uma fazenda localizada na cidade de Araçoiaba da Serra, no interior paulista, também faz parte da concessão. Atualmente a propriedade é utilizada para a produção de alimentos para os animais, além de apoio às operações do Zoológico e Zoo Safari.

O consórcio deve assumir a operação do espaço, logo após a assinatura do contrato definitivo com o Governo do estado de São Paulo. Um dos objetivos é desenvolver, em conjunto com a Fundação Parque Zoológico e o Instituto de Botânica, um calendário de atividades de educação ambiental, com o objetivo de ampliar a conscientização sobre meio ambiente e preservação das espécies, tendo o Zoológico, Zoo Safari e Jardim Botânico como fórum e atores ativos desse debate.

A Licitação 

Para vencer o pregão, o consórcio Reserva Paulista apresentou uma proposta de R$ 111 milhões – um valor de 132% acima do mínimo previsto, que era de R$ 48 milhões. O consórcio Cataratas do Iguaçu SA, que propôs R$ 82 milhões, foi derrotado.

Atualmente, os parques são administrados pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do estado de SP.

A empresa vencedora será responsável pela conservação, manutenção e operação dos parques. No total, o valor do contrato é de R$ 417,5 milhões, sendo R$ 263 milhões de investimento. Ele determina que a empresa promova o ecoturismo, setores culturais, de lazer e educação, entre outros.

A proteção das espécies ameaças encontradas nos locais continuará sob responsabilidade do governo.

Recorde no Brasil 

As propostas começaram a ser recebidas às 14h desta terça, e 15 minutos depois foi encerrado o recebimento dos envelopes. Presente no evento, o governador João Doria (PSDB) disse que os competidores participaram com dignidade e que o processo de concessões no estado continuará.

“Em se tratando de parques públicos, esse ágio [de 132%] é recorde no país”, disse Doria, referindo-se à diferença entre o valor mínimo previsto, que era de R$ 48 milhões, e a proposta vencedora, de R$ 111 milhões.

Segundo Doria, haverá economia de R$ 4 bilhões aos cofres públicos nos próximos 30 anos com a concessão.