Empresário de BC é preso com quase 1 milhão de dólares em avião no Pará

A Polícia Civil do Pará apreendeu, neste sábado (21), no aeroporto municipal de São Félix do Xingu, sudeste do Pará, um valor aproximado de um milhão de dólares em dinheiro, dentro de uma maleta que seria transportada em uma aeronave. Também foram encontrados um revolver calibre 38 e dois galões contendo, cada um, 50 litros de combustível para avião. Durante a ação policial, um passageiro fugiu, e o piloto, identificado como R.S.D., empresário e dono de uma construtora em Balneário Camboriú, foi preso em flagrante.

De acordo com informações da Polícia Civil, o flagrante ocorreu por volta das 12h, depois que os policiais civis receberam denúncias de que uma aeronave, que estava na cabeceira da pista do aeroporto, estaria transportando drogas ilícitas. “Imediatamente, a equipe policial se deslocou ao local para averiguar a situação”, afirma a Superintendência.

Ainda segundo a Polícia, a aeronave, de prefixo PT-IHS, estava na cabeceira da pista. O piloto informou que havia decolado de Paragominas com destino a Novo Progresso, no sudoeste do Pará, levando apenas um passageiro, o qual fugiu ao notar a presença dos policiais. Após a polícia localizar o material que estava na aeronave, R.S.D. foi autuado em flagrante.

R.S.D, já foi preso em novembro de 2019, no Mato Grosso, pilotando um helicóptero com prefixo adulterado. Na ocasião, a aeronave foi apreendida e ele foi conduzido a Polícia Federal.

Equipes da Diretoria Estadual de Combate à Corrupção (Decor) e da Coordenaria de Operações e Recursos Especiais (Core) saíram de Belém com destino a São Félix do Xingu para reforçar as investigações. Elas prosseguem com as diligências para identificar o passageiro que fugiu e o proprietário da aeronave.

“Recebemos a denúncia de manhã cedo, que se tratava de tráfico de drogas, e acabamos fazendo a maior apreensão de dinheiro em dólar. São quase um milhão de dólares apreendidos. As equipes da Decor e Core assumem as investigações”, informou o delegado-geral de Polícia Civil, Alberto Teixeira.

Comente Abaixo