“Empresários” são presos acusados de lavar R$ 700 milhões para o tráfico

A Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira (4/4) três empresários na Grande Florianópolis que atuavam lavando dinheiro do tráfico de drogas ilícitas. Os suspeitos têm empresas nas áreas imobiliária e de revenda de veículos.

As prisões ocorreram em continuidade às investigações da Operação Pedra Branca, deflagrada em dezembro de 2021, e que desmantelou um ramo do crime organizado que atuava no tráfico no litoral catarinense. A investigação continuou para descobrir o núcleo financeiro da operação e como o dinheiro era esquentado.

Operação Pedra Branca

A Operação Pedra Branca, trabalho da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), começou em 2019 com a prisão de três pessoas na Praia da Pinheira, em Palhoça. Com a continuidade da investigação mais criminosos do grupo foram identificados e presos ao longo do inquérito. Na deflagração das diligências em dezembro foram encontrados R$ 8 milhões em uma casa no bairro Pedra Branca, em Palhoça, e 6 pessoas foram presas.

R$ 8 milhões em espécie foram apreendidos na operação contra traficante que morava no bairro Pedra Branca, em Palhoça
R$ 8 milhões em espécie foram apreendidos na operação contra traficante que morava no bairro Pedra Branca, em Palhoça – PC/Divulgação/CSC

Ao longo do trabalho houve várias apreensões em outras operações relacionadas, como a descoberta de um laboratório de produção de drogas sintéticas no bairro Capoeiras, em Florianópolis, e a apreensão de 300kg de crack e cocaína e de R$ 5 milhões em Balneário Camboriú.

O principal traficante, apontado como fornecedor, levava uma vida de luxo em uma residência de alto padrão no bairro Pedra Branca, em Palhoça, com diversos veículos de luxo.

As ações dessa segunda-feira se concentraram em prender os responsáveis por lavar o dinheiro da venda das drogas desse e de mais traficantes de Santa Catarina.

Via Correio SC

Publicidade