Enfermeira ajuda no socorro de acidente e encontra o próprio filho morto

A enfermeira Sirlene Silvério de Souza, de 45 anos, estava de plantão no último sábado (14), quando uma chamada de emergência chegou ao hospital municipal de Godoy Moreira, no Paraná. Juntamente de outros profissionais de saúde, a mulher chegou para socorrer os envolvidos em uma batida entre dois carros, na PR-650. As informações são do “O Globo”.

Minutos antes de chegar ao local, Sirlene começou a ficar apreensiva ao receber um telefonema de um amigo. Ao saber que a enfermeira atenderia às vítimas do acidente, o colega “mudou o tom de voz”.

O acidente deixou três mortos, entre eles, Mateus Silvério de Souza, de 24 anos, filho de Sirlene. “Eu desliguei o celular já rezando. E quando a ambulância estacionou eu percebi que não era uma batida simples, mas de grandes proporções. Eu vi pessoas caídas no chão, machucadas, e reconheci o carro. As pessoas tentaram me acalmar, mas eu quis ir em direção ao veículo, e me deparei com meu filho morto e preso nas ferragens”, contou a enfermeira.

Sirlene chegou a checar o pulso do filho, mas não havia batimentos cardíacos. O jovem estava “abraçado” ao volante, sangrando pelo ouvido direito.

“Eu ajudei a tirar meu filho dignamente, coloquei na maca, coloquei tábua cervical. Mas o médico falou que ele realmente estava em óbito. Eu ainda pedi para levá-lo ao hospital, porque eu estava sendo forte como técnica, mas também sou mãe, e tinha a esperança de um milagre”, revelou Sirlene.

Mesmo com o óbito do filho confirmado, a enfermeira se manteve firme para ajudar a salvar outras vidas. Reunindo forças, Sirlene foi socorrer uma das amigas de seu filho, que estava no banco de trás do veículo. A jovem teve traumas nos pés e no quadril. Ela passou por cirurgias e está se recuperando bem.

Uma garota, que estava no banco da frente do carro dirigido por Mateus, acabou morta no acidente. O condutor do outro carro envolvido na batida também morreu. Além dos três mortos, sete pessoas ficaram feridas.

 

IstoÉ