Envolvidos com a máfia italiana tinham apartamento em BC

A polícia Federal prendeu na manhã de ontem pai e filho suspeitos de integrar a máfia italiana. A prisão foi em Praia Grande, no litoral paulista, mas os dois vinham com frequência para Balneário Camboriú, onde tinham um apartamento alugado em um prédio de alto padrão.

Nicola Assisi, que foi condenado a 14 anos de prisão por tráfico e associação pro tráfico de drogas na Itália, foi preso ao lado do filho Patrick. Os dois estavam foragidos da justiça desde de 2014.
Segundo a PF, eles passaram por Portugal e Argentina usando nomes falsos. A operação, comandada pela PF do Paraná, foi batizada de Barão Invisível.

Os mandados de prisões foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a pedido da PF e da Interpol, em cooperação com a polícia italiana.

Os dois estavam em uma cobertura de um prédio quando foram presos em Praia Grande. No apartamento foram apreendidos armas, dinheiro e carros. O apartamento de Balneário não foi visitado pela PF ontem.
Pai e filho mantinham esquema de segurança sofisticado na moradia paulista, com câmeras na área externa que eram usadas para identificar todas as pessoas que entravam no prédio.
A PF diz que eles integram um braço na América do Sul do grupo conhecido como Ndrangheta. O grupo mafioso é da região da Calábria, no sul da Itália, e controla cerca de 40% dos envios globais de cocaína, informa a PF.

Máfia x PCC

A relação entre a máfia italiana e facções criminosas brasileiras, como o PCC, também é investigada pela PF.
As apreensões de cocaína feitas nos portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR) recentemente podem ser de remessas da quadrilha que pai e filho fazem parte.
No Brasil, os dois mantinham empresas para lavagem de dinheiro.

Moro e Salvini gostaram

Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, disse ontem que “o Brasil não deve ser refúgio para criminosos”.
Ele usou o Twitter para parabenizar a operação Barão Invisível, da PF, que prendeu os mafiosos italianos. “Parabéns à polícia Federal pela prisão dos mafiosos italianos foragidos. O Brasil não deve ser refúgio para criminosos”, disse o ministro.

O ministro do Interior da Itália também comemorou a prisão de Nicola. “Duas brilhantes operações contra mafiosos, traficantes e criminosos”, disse Matteo Salvini, fazendo referência também a uma ação da justiça da Espanha que prendeu um peruano condenado por tentativa de homicídio.

 

Por Diarinho