Estado anuncia estratégias para combater escalada da violência em Florianópolis

Numa reunião realizada a portas fechadas na manhã desta segunda-feira em Florianópolis, a cúpula da Segurança Pública estadual anunciou ações para tentar conter a escalada da violência na cidade. Entre 1º de janeiro e a manhã desta segunda, 66 mortes violentas foram registradas na Capital. Em todo o ano de 2016, foram 92, e em 2015, 67.

De acordo com comunicado enviado à imprensa, que não foi avisada do encontro, entre as ações estão intensificar o policiamento ostensivo em áreas vulneráveis, reforçar o efetivo da Delegacia de Homicídios, criar uma força-tarefa para o cumprimento de mandados de prisão de acusados de crimes e reforçar as ações de inteligência.

Participaram do encontro o secretário de Segurança Pública, Cesar Grubba; o secretário-adjunto, delegado Aldo Pinheiro D’Ávila; o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Paulo Henrique Hemm; o delegado-geral da Polícia Civil, Artur Nitz, e o diretor de Informação e Inteligência, delegado Mauro Cândido Rodrigues.

Após receber o comunicado oficial com as informações, pela manhã, a reportagem do Diário Catarinense pediu, formalmente, uma entrevista com Grubba, mas até as 16h não recebeu resposta.

Situação em Joinville

Na maior cidade do Estado, já ocorreram 43 mortes violentas desde o começo do ano — cinco a mais que no mesmo período do ano passado. Os dados são de um levantamento feito pelo jornal A Notícia.

Por Diário Catarinense

Comente Abaixo