Ex-secretário de saúde do estado depõe ao Gaeco e denuncia Douglas Borba por “pressão” para contratar Veigamed

O ex-secretário de Saúde de Santa Catarina Helton Zeferino prestou um novo depoimento ao GAECO sobre a mal explicada compra de 200 respiradores com pagamento adiantado de R$ 33 milhões à empresa Veigamed, do Rio de Janeiro.

Segundo a NSCTV informou na manhã desta quarta-feira (6), ele acusou o chefe da Casa Civil, Douglas Borba, de apresentar a proposta desse fornecedor e de “fazer pressão” pelo fechamento do contrato. Também de pressionar por um contrato de R$ 70 milhões com fornecedores suspeitos numa compra de EPI’s, que foi barrado pelo setor de compras da Saúde.

E, ainda, que Douglas teria participação direta na articulação para contratação do hospital de campanha em Itajaí, por R$ 77 milhões.


Douglas Borba, secretário da Casa Civil, e Helton Zeferino, ex-secretário de saúde do estado.

Zeferino teria prestado novo depoimento por cerca de quatro horas, entre as 14h e 18h. Ele também teria deixado seu aparelho de telefone celular para que os investigadores do Gaeco (formado por MPE e as polícias Civil e Militar) analisem as trocas de mensagens entre ele e os outros envolvidos nessa compra com fortes suspeitas de irregularidades.

O depoimento foi prestado pelo ex-secretário da Saúde de forma espontânea. Helton já havia sido ouvido por policiais e promotores no domingo, mas na terça voltou a procurá-los e mudou o discurso que vinha adotando ao implicar diretamente o secretário Douglas Borba.

Sobre sua participação no caso dos respiradores, o ex-secretário de Saúde disse que autorizou a compra, tendo como base um parecer jurídico da secretaria, mas afirmou que não ordenou diretamente o pagamento.

O secretário Douglas Borba, que é tido como braço direito do governador Carlos Moisés (PSL), disse que só vai se pronunciar depois de analisar as informações.

O novo depoimento do ex-secretário Helton Zeferino ocorreu no mesmo dia em que a ex-servidora da Secretaria de Saúde, Márcia Geremias Pauli, afastada após as denúncias sobre a compra dos respiradores, concedeu entrevista a uma emissora de TV alegando que a decisão de fechar a compra teria partido do secretário Douglas Borba.

Em coletiva de imprensa horas depois, Borba negou “veementemente” qualquer participação na indicação da empresa Veigamed para a compra dos respiradores. Ele também negou a participação do governador do Estado nessa compra dos respiradores e disse que o processo foi efetuado pela Secretaria de Saúde.

Comente Abaixo