Ex-vereador de Camboriú desfere ofensas contra deputada Paulinha em rede social.

O ex-vereador de Camboriú, Carlos Alexandre Martins, conhecido como Xande, usou o Facebook para desferir ofensas a Deputada Ana Paula Silva, a Paulinha, por causa da roupa usada pela deputada no dia da posse.

Na postagem, o ex-vereador colocou uma foto em que faz um comparativo da vestimenta usada por Paulinha (PDT) e pela deputada federal Major Fabiana (PSL-RJ), e desferiu ofensas contra a Deputada.
“Vergonha para SC, e um monte de babaca defende uma P*** dessas, lixos.” escreveu o ex-parlamentar.

Nos comentários, ele ainda reforça a ofensa respondendo a um apoiador. “Vira garota de programa e não deputada, não é mesmo?”

A imagem

Uma observação acerca da imagem, é que a Major Fabiana estava usando o traje de gala da Polícia Militar do Rio de Janeiro. O uso de uniforme de gala em cerimônias como essa, é normal nos membros das forças se segurança. Major Fabiana que ficou conhecida por matar um bandido da porta da escola de sua filha em uma tentativa de assalto. Ela foi eleita deputada federal pelo estado do Rio de Janeiro na eleição de 2018.

A jornalista Dagmara Spautz publicou neste sábado uma entrevista em que fala da polêmica a cerca do vestido da deputada Paulinha, no dia da sua posse. Com o título “Em tempos de conservadorismo, decote de deputada é assunto mais comentado da posse em SC”Paulinha declara que não será outra mulher por ser deputada.

“Sempre usei roupa justa, sapato alto, decote. Achei que as pessoas iam falar do vermelho, mas só se concentraram no decote. As mulheres têm peito e eu tenho peito grande, sempre fui assim. Não é agora, que virei deputada, que vou virar outra mulher. Não estou aí para ser avaliada por isso. A sociedade de Bombinhas me avaliou pelo meu trabalho. O jeito como me visto é problema meu.”

Paulinha foi reeleita prefeita de Bombinhas, em 2016, com 80% dos votos válidos na cidade e eleita deputada estadual com quase 52 mil votos no estado.

Polêmicas

O ex-vereador renunciou ao mandado depois que, em 2014, alegou em uma entrevista que se dependesse somente do salário de vereador, ele passaria fome. Na época, o salário dele em folha era de R$ 5.217,00. A declaração foi dada durante uma entrevista sobre a votação de um projeto de diminuía exigência de escolaridade mínima para assessores parlamentares na Câmara de Camboriú.
“O salário de vereador em Camboriú é uma vergonha. O vereador que fica vinculado só a isso, realmente ele vai passar fome. Temos que trabalhar de outra forma.” declarou Xande ao dizer que precisa de um assessor para representá-lo quando trabalha em outra função fora do legislativo.

Em 2017, Alexandre foi preso pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na operação Terra Prometida, que apurava corrupção em alterações no plano diretor de Camboriú para beneficiar empresários. A matéria pode ser lida AQUI