Fase final de vistoria do projeto do novo Plano Cicloviário

Os estudos para o novo Plano Cicloviário de Balneário Camboriú entraram na reta final. Desde fevereiro, arquitetos urbanistas, em parceria com o Fundo Municipal de Trânsito (FUMTRAN) e o setor de Planejamento do Município, conferem a demarcação das ligações que precisam ser melhoradas. A previsão de conclusão é até o fim desta semana.

Para realizar as vistorias, a cidade foi dividida inicialmente em 15 regiões: Praia dos Amores, Pioneiros, Nações, Centro, Centro Norte, Centro Sul, Bairro dos Estados, Municípios, Vila Real, Barra, Barra Sul, Nova Esperança, Taquaras, Pinho, Estaleiro e Estaleirinho. Na quinta-feira (25), os profissionais percorreram a cidade de bicicleta para verificar as ligações.



O Arquiteto Urbanista Sergio Baggio explica que está sendo feito o mapeamento dentro do plano cicloviário. “Estamos analisando quais locais poderemos implantar a ciclovia em curto e médio prazo. Nessa ação contabilizamos quantas vagas devem ser removidas, se precisarão de obra ou não, classificamos se é uma obra fácil ou difícil de execução, noção de custo de implantação, produção de mapas temáticos para localização e diretrizes que pretendemos implantar.” explica.

A ideia é que ainda em 2019 sejam implantados mais 14,5 km de ciclovia, e em 2020 a previsão é de um número ainda maior, 26,5 km. No ano passado já foram executados 8,5 km, e o total existente hoje é de 38 km de ciclovia ao longo do município. Com a realização do projeto a previsão é de um acréscimo de 50 km cicloviários executados, totalizando assim cerca de 80 km em todo o município de Balneário Camboriú.

“É uma meta, digamos assim, ‘ousada’, mas a gente entende que é viável. Muitas delas são de fácil implantação onde necessita simplesmente fazer a demarcação, pintura, sinalização viária e adequações de pequenos ajustes. Algumas outras requerem obras maiores, mas não é nada impossível”, conclui Baggio.

Os arquitetos Helvys Zermianni e Fábio Becker também participam das vistorias, em conjunto com o gestor do FUMTRAN, Fernando Marchiori.

Comente Abaixo
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.