Feriadão, politicagem, campanha e afins – Coluna Ácido Úrico

Feriadão de Aparecida movimentado em Balneário Camboriú com praias cheias, comércio vendendo, hotelaria contente e a economia de Balneário Camboriú voltando a acontecer.

É claro que em época de eleição, com pandemia e cidade cheia, o que não faltou foram os demagogos de plantão fazendo politicagem e atacando em redes sociais. Foi um festival de “Faça o que eu digo mas não faça o que eu faço” que tomou conta das redes sociais e grupos de Whats.

Panorâmica

Até a barbeiragem de um pouca prática foi motivo de politicagem neste fim de semana. Um bitrem há poucos metros da entrada da nova avenida, bem no comecinho, e não deu conta de tocar o grandão em frente. Fico imaginando um cara desses subindo a Serra da Dona Francisca, Rio do Rastro, Serra da Santa ou até mesmo uma Serra do Azeite. Volta de ré também? HAHAHA

Panorâmica II

O mais interessante foi a rapidez com que dois candidatos, mesmo com o trânsito quase parado, estavam lá no exato momento em que a carreta parou. Coincidência? Bateram um fio? Combinado? Não sei. Mas que ficou estranho, realmente ficou.

Praia Cheia

O que muitos candidatos tem pregado por ai é a retomada da economia. Quem tem batido nesta tecla com mais intensidade é Auri Pavoni. Ai vejo neste fim de semana, de cidade cheia e economia retomando, os apoiadores de Auri reclamando. Vai entender. Vale lembrar que o único decreto que proíbe praias é o estadual. Afinal, a economia tem que retomar ou não? Digamos que o candidato assuma em janeiro em uma situação de pandemia igual a de hoje, vai proibir?

Praia Cheia II

Temos uma orla com mais de 210.000 m2 de areia. São 7 quilômetros de praia central, todos os guarda-sóis com um distanciamento bom e sem aglomero de pessoas. Querem impedir o que? De ficar 4 ou 5 pessoas embaixo da mesma tenda? As mesmas pessoas que estão embaixo da tenda, também estão no mesmo apartamento e fazem suas refeições no mesmo lugar. Ao ar livre, com vento soprando, sol quente e bastante espaço entre os grupos não pode? Faça-me o favor.

Praia Cheia II

A demagogia é em todos os sentidos. Piriquito e o MDB estão respondendo um procedimento do MP por descumprir normas de segurança sanitária em sua convenção. Reunião esta que até Auri estava junto, sem máscara e aglomerados. Circulou fotos onde os apoiadores tanto de Auri quanto de Piriquito, se amontoavam para fotos em reuniões políticas. Mas querem dar sermão em quem está na praia, que é bem mais seguro do que um Shopping? Demagogia pura.

NOVO

Ouvindo o rádio do meu carro e vendo as aberrações que são as propagandas gratuitas, ouço o trecho do NOVO. No dia seguinte, me deparo com uma propaganda no Youtube. O discurso é lindo. Novo, renovação, abaixo comissionados, economia e por ai vai. O que me deixa encucado é que a experiência de Ney com o serviço público, foi através de cargo comissionado.

NOVO II

E não para por ai. O principal candidato a vereador, Lucas Gotardo, veio de um partido socialista, teve cargos no governo Fabrício e ainda mantem indicação na Câmara e um gabinete cheio de assessores. O presidente da associação de moradores da 4ª Avenida, Naifer, que também é genro de Ney e candidato a vereador, já foi assessor de vereador (e revezou com a esposa na assessoria), foi assessor de deputado, foi cargo no governo Edinho em Camboriú e cargo no governo Piriquito, mas agora é tudo NOVO. Fora aos políticos de profissão e abaixo aos cabides. Aham.

NOVO III

Parece que o NOVO é tipo uma conversão evangélica. Não interessa quão regressa tenha sido a vida da pessoa, quando ela se converte, tudo fica para trás. O mesmo acontece com os “aprovados” nos seletivos do NOVO. Além de apagar todo o passado de comissionado e cargos públicos, parece que os caras são agraciados com uma inteligência divina onde toda e qualquer pessoa que tente debater com eles qualquer assunto, é enviada para os quintos dos infernos e excomungada de todo e qualquer debate. (Assim como farão a hora que lerem isso) 

APOIO

Foi publicado hoje um vídeo onde o ex-pré-candidato a prefeito e comandante da PMRv no restante do tempo, Evaldo Hoffmann, declara apoio a Edson Piriquito para a prefeitura de BC. Depois do desastroso vídeo de fim de ano protagonizado por Auri, Evaldo e Piriquito, Evaldo declara apoio a Edson Renato. O apoio vai contra até mesmo a coligação do PSL de Carlos Moises, que está com o PSDB de Auri. Será que Evaldo pediu a benção do Governador bombeiro?

APOIO II

A verdade é que nem sei se militar na ativa pode declarar apoio e participar de qualquer mídia eleitoral, mas sei que não pode participar de entrevista política, embora isso também nunca deu em nada. Mas é engraçado o “Homem da Lei”, um dos comandantes da Polícia Militar de Santa Catarina, pedindo voto para um réu na justiça por corrupção. Réu este que foi denunciado pelo MP, após uma operação do GAECO que é formado, inclusive, pela Polícia Militar. Sem contar que Piriquito pediu voto para o Mariani e declarou voto no Haddad. Que situação hein?

Debate 

Na semana passada Edson Piriquito postou um vídeo, em cima de uma Kombi, “exigindo” um debate entre os candidatos. Na postagem o candidato ataca a Rádio Menina a comparando com a “globolixo” (termo usado por Piriquito) caso não repensasse a ideia de realizar o debate, como se ela tivesse alguma obrigação. Com a postura “bolsonarista” de um eleitor do Haddad, Piriquito se comporta como criança mimada que não ganha o que quer.

Debate II 

Para clarear as ideias de quem endossa esse devaneio de Piriquito, primeiro é necessário afirmar que nenhum veículo de comunicação é obrigado a realizar debate político. Segundo que um debate político custa dinheiro e não é pouco, portanto ninguém vai promover debate para fazer graça para político. Emissoras realizam debate com o único intuito de vender patrocínio, pois a audiência é relativamente boa. Se não tem anunciante disposto a investir nesse tipo de mídia, não é viável realizar um debate, ponto.

Debate III

Sem contar que duas horas de TV é caro também e nessa crise da pandemia, ninguém está disposto a perder horário de anunciante para apresentar circo eleitoral. Se faz tanta questão, peça para o Pavan, seu amigo que lhe entrevistou há pouco tempo atrás na TV dele. Ah não, esqueci que Piriquito não da entrevista na Panorama pois a emissora tem que “criar vergonha na cara” pois são “pau mandato de um vagabundo sem vergonha”. Eu amo a internet.

Enquanto isso… 

.. a oposição com suas trapalhadas, vai entregando a reeleição para Fabrício Oliveira. Essa tarde até tentaram usar a velha tática da pesquisa fake para dar um ar de “já virou”, famoso em eleições passadas. Ao ser questionado sobre o número do registro da pesquisa, o tucano apagou a postagem em um grupo de Whattsapp. Mas o print é eterno. No meio desse bate cabeça dos grupos opositores, a turma fabricista segue tocando a campanha sem fazer alarde.

Vazio 

Essa semana fui questionado sobre o fato de não ter nada no meu Facebook relacionado a apoio de candidato algum. Sim, está vazio e vai seguir assim nos próximos dias.
Só declararei votos quando eu estiver convicto de apoio para projetos e não para campanha. Em meio a tantas promessas que ouvi nos últimos quatro anos, prefiro não me antecipar. Vou estudar direitinho cada candidato e cada proposta de projeto.

Feriadão, politicagem, campanha e afins – Coluna Ácido Úrico
Por Gian Del Sent

Comente Abaixo