Fiscais da prefeitura e PM fecham facção com mais de 900 uniformes escolares falsificados.

Uma operação com o apoio da polícia Militar e fiscais da secretaria de Planejamento de Balneário Camboriú acabaram com uma facção de costura clandestina que funcionava no bairro dos Municípios. A ação aconteceu no sábado (09), na Rua Curitibanos, depois de uma denúncia da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Balneário Camboriú.

O material estava com uma mulher que mora em Blumenau mas residiu durante muitos anos em Camboriú e vem sendo procurada há anos com suspeita de falsificação de produtos. Neste endereço, os fiscais da prefeitura apreenderam 951 peças, entre camisetas, regatas, calças e blusas de agasalho dos colégios Energia e Aster, que vinham sendo comercializados de forma clandestina para pais de alunos.



Segundo informações da prefeitura ao jornal Diarinho, a dona da facção será multada. Ela não tinha alvará de funcionamento e nem nota fiscal das peças.

Uma testemunha se disse cliente da fábrica clandestina e comentou que compra os uniformes dos filhos com preços até 30% mais em conta.

Prefeitura não divulgou

Embora o caso seja grave, pois além da contravenção e delitos administrativos como a falta de alvará, o caso é também de segurança pública. Para comprar uniforme de escolas particulares, é necessário comprovar que o aluno esteja matriculado na instituição. No caso desta facção, não é possível identificar quem comprou e muitas escolas particulares da cidade, para não dizer todas, a única identificação para a entrada do aluno é justamente o uniforme.

Mesmo com a gravidade e com os riscos que essa situação pode acarretar, a prefeitura não emitiu nenhuma nota ou release falando do assunto e alertando os pais, professores e escolas do ocorrido. O Diarinho teve acesso a informação, com exclusividade, ainda no domingo, dia 10.

Atualizado 11/02 -12:42: Após a publicação da matéria do Portal Visse, a prefeitura postou o release falando sobre o caso, as 12:04hs.

 

Comente Abaixo
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.
%d blogueiros gostam disto: