Fotografo que trabalhou com Karol Conká e Anitta é encontrado morto

O corpo encontrado na Praia do Matadeiro, em Florianópolis, na madrugada desta terça-feira (23), foi identificado como sendo do fotógrafo e artista carioca Marcelo Moraes, conhecido como 1993agosto, de 27 anos.

Vítima de afogamento, o artista morava na Capital catarinense com a mulher, Morana, desde o ano passado. Ainda não há detalhes sobre o enterro. Natural de Belford Roxo, no estado do Rio, Marcelo Moraes adotou o pseudônimo 1993agosto em referência ao ano e mês de seu nascimento.

Ele começou sua trajetória na fotografia aos 14 anos e vinha se firmando como um nome de destaque na cena cultural. Com um trabalho que mostrava ousadia, ele trafegava pelas áreas de moda, vídeo, criação, mantendo estreita relação com o rap e o hip-hop.

Entre seus trabalhos de destaque, está a participação na confecção da capa do disco do rapper Djonga, O Menino que queria ser Deus, em 2018. Também criou para artistas como Bivolt, JXNV $, Thiaguinho e Rael, Davi Sabbag com Jaloo, Derek, Karol Conká, Mano Brown, Léo Santana e Anitta.

De Anitta, as fotos que fez em 2018, no Peru, foram alvo de muitos comentários positivos, o que estimulou curiosidade acerca do artista por parte de internautas que queriam saber quem era o autor das imagens irreverentes.

Além de ser fotógrafo requisitado, tendo seus trabalhos publicados não só no Brasil, mas em outros países, Marcelo também ganhou destaque na moda.

Formado em design gráfico, Marcelo desfilou na SPFW, em 2018, para a Korshi acessórios que criou para a marca.

Artistas rendem homenagens

Muitos nomes do meio musical e artístico se expressaram na última publicação de Marcelo Moraes no Instagram.

“Eu te amo para eternidade, irmão” escreveu Kaire Jorge, filho de Mano Brown.

O guitarrista da NX Zero, Gee Rocha, assim como a cantora Jup do Bairro, o musicista Konai, além de outros artistas, também prestaram homenagens ao artista nas redes sociais.