Gêmeos siameses unidos pela cabeça passam por cirurgia de separação

Divulgação | Instituição Gemini Untwined

Gêmeos siameses unidos pelo cérebro foram separados por uma equipe de médicos do Rio de Janeiro e de Londres. Os irmãos de três anos, Arthur e Bernardo Lima, passaram por sete cirurgias com a ajuda de técnicas de realidade virtual. O procedimento durou 27h e contou com quase 100 profissionais envolvidos.

Para realizar a separação dos gêmeos, as equipes testaram técnicas por meses, usando projeções de realidade virtual, com base em tomografias computadorizadas e ressonâncias magnéticas. O médico britânco Noor ul Owase Jeelani revelou que pela primeira vez cirurgiões em países diferentes operaram juntos usando fones de ouvido. “Coisa da era espacial”, disse ele.

As cirurgias foram realizadas no Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer, e segundo a instituição britânica especialista em cirurgias de separação, Gemini Untwined, o caso dos brasileiros foi o mais complexo que já operaram até o momento.

Bernardo e Arthur, são gêmeos craniópagos, com cérebro fundido, e são os mais velhos a se separarem. De acordo com a instituição de caridade que financiou as pesquisas e o procedimento, um em cada 60 mil nascimentos resulta em gêmeos siameses, e apenas 5% deles são craniópagos.

Os irmãos seguem se recuperando e terão seis meses de reabilitação pela frente.

***Informações da BBC News | Brasil

Publicidade