Governo do Estado quer criar 200 cargos de auditor e promover mais 110 sem concurso

Entre os 29 projetos que serão votados nos próximos dias na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), no chamado “tratoraço” de fim de ano, o Projeto de Lei n. 32.4/2021 é um dos que mais ganha destaque pelas irregularidades e imoralidades inerentes à proposta.

Por meio do projeto, o Governo de Santa Catarina pretende criar 200 cargos de auditores estaduais, além de promover 96 contadores e 14 analistas para esse novo cargo, mesmo que estes profissionais não tenham passado por concurso público para exercer e ser remunerados pela função.

Se aprovado, os analistas e os contadores terão um aumento significativo nos salários, de cerca de R$ 10 mil por mês, pagos com o dinheiro do catarinense.

O Projeto prevê ainda a concessão de um “Adicional de Atividades de Finanças Públicas” que, basicamente, é uma gratificação paga a mais para o profissional fazer o trabalho.

“Além de ser inconstitucional, ocupar um cargo efetivo sem concurso, a proposta cria ainda mais despesa pública, aumenta a disparidade salarial entre o serviço público e o privado e faz o catarinense pagar a conta”, enfatiza o deputado estadual Bruno Souza (NOVO).

Texto: Assessoria Dep. Bruno Souza

Publicidade