Governo ultrapassa a marca de 100 milhões de doses distribuídas de vacinas covid-19

A distribuição até o momento já permitiu a aplicação de doses em 18 dos 28 grupos prioritários - Foto: Ministério da Saúde

O Brasil atingiu uma marca importante que demonstra o avanço na campanha nacional de vacinação contra a Covid-19: o Ministério da Saúde ultrapassou a casa de 100 milhões de doses distribuídas para todo o Brasil. Nesta semana, mais 6,5 milhões de doses são enviadas para estados e Distrito Federal a partir desta quarta-feira (2).

Para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, os números mostram o trabalho do Governo Federal na meta de vacinar toda a população brasileira até o fim de 2021. “Essa é uma marca importante porque representa a concretização do nosso esforço para garantir a vacinação à população brasileira. Nós estamos cuidando de vidas com doses de esperança.”

A distribuição até o momento já permitiu a aplicação de doses em 18 dos 28 grupos prioritários do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO), definidos de acordo com os riscos maiores de agravamento da doença e a vulnerabilidade social. O objetivo é reduzir casos e óbitos e garantir a manutenção dos serviços de saúde e dos serviços essenciais.

Mais vacinas

E as ações não param por aí: a previsão é de que, em junho, o Ministério da Saúde receba dos laboratórios aproximadamente 40 milhões de doses de vacinas covid-19. Até agora, maio foi o mês com a maior distribuição desde o início da campanha nacional: foram enviadas para todo o país mais de 33 milhões de doses de imunizantes.

O Governo Federal investiu R$ 29,9 bilhões para a compra de vacinas covid-19 – mais de 600 milhões de doses estão encomendadas para serem entregues até o fim do ano após acordos fechados com diferentes laboratórios.

Novidades

Nesta semana, o Ministério da Saúde coordena a entrega de novos lotes de vacinas, com 5,9 milhões de doses da AstraZeneca/Oxford, produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e 629,4 mil doses da Pfizer/BioNTech.

Essa distribuição tem duas novidades. O ministério começa a enviar doses para início da vacinação dos trabalhadores da educação, grupo prioritário que teve a imunização antecipada. A outra é que essa será a primeira distribuição das vacinas da Pfizer com a nova recomendação de armazenamento aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A partir de agora, as doses da farmacêutica podem ficar refrigeradas de +2°C a +8°C por até 31 dias, o que permite que todos os municípios brasileiros recebam o imunizante – antes, o prazo era de apenas cinco dias.

Fonte: Ministério da Saúde