Homem é preso em Porto Belo por manter mulher em cárcere privado

Um homem de 49 anos foi preso em Porto Belo, no Litoral Norte, por manter a mulher, de 46, em cárcere privado. A prisão foi feita pela Polícia Militar na quinta-feira (30) após receber denúncia. A mulher relatou à Polícia Civil que recebeu ameaças e que não saía de casa para evitar brigas.

Prisão

A prisão ocorreu na residência do casal, no bairro Perequê, segundo a PM. Os policiais bateram na porta e, após várias tentativas, foram atendidos pelos dois. Em um primeiro momento, a mulher disse que estava tudo bem.

Porém, após conversar em particular com uma policial militar, ela relatou que há dois anos o marido havia tirado o celular dela, para que não tivesse contato com familiares, proibia que ela saísse de casa e a ameaçava. O esposo dizia que, caso a vítima tentasse a separação, ele a mataria e ficaria com o filho deles, de 9 anos.

Em conversa com o marido, ele se contradisse muito, conforme a PM. A casa era fechada por dentro e por fora com grade. De acordo com a delegada Luana Backes, a mulher relatou que ele ficava com as chaves e, quando saía de casa, trancava a porta com a vítima dentro.

Ameaça

O casal está junto há quase 30 anos. “A esposa disse que ele tem problema psiquiátrico. Ela não estava machucada fisicamente, era mais o psicológico. Ela disse que ele tinha mania de perseguição, que se alguém olhasse para ela, ela estava se insinuando”, relatou a delegada.

“Quando ele ameaçou ficar com o filho e que ia matá-la, ela não aguentou mais e contou para alguém. Essa pessoa fez a denúncia”, continuou. A delegada afirmou que nenhum dos dois trabalhava. Eles viviam de uma renda agrícola da família, que mora no Rio Grande do Sul.

O casal mora em Porto Belo há 11 anos. Desde que eles se mudaram para a cidade catarinense, o marido proibiu a mulher de trabalhar, conforme relatou a vítima à delegada.

O Conselho Tutelar foi chamado para atendimento à criança. A delegada informou que o menino tem desenvolvimento normal e que frequentava a escola normalmente. Não havia nenhuma denúncia relativa ao caso no Conselho Tutelar.

Na tarde desta sexta (31), o suspeito estava preso na delegacia. Haverá uma audiência de custódia às 17h, em que a Justiça decidirá se ele vai responder ao crime em liberdade.

Comente Abaixo