Leitos de retaguarda em Camboriú estão desativados desde setembro

Embora a prefeitura não tenha informado a população sobre o término do convênio com o Estado para a manutenção de 20 leitos de retaguarda para enfermaria de pacientes da COVID-19, os mesmos estão desativados desde 30 de setembro.

O leitos, que eram gerenciados via SISREG, foram abertos e habilitados pelo estado no dia 24 de junho, o convênio previa 3 meses de repasses financeiros para a manutenção dos mesmos. Mesmo com a crescente alta de casos que vem desde a segunda quinzena de setembro e com uma elevação relevante em outubro, a secretaria de saúde não se preocupou em renovar o convênio.

O mais revoltante é que, mesmo não existindo mais os leitos habilitados para internação, a prefeitura continuou divulgando a ocupação dos mesmos com “0% de ocupação”. A divulgação ocorria mesmo com a prefeitura ciente que eles não poderiam ser usados em caso de internação. Tanto que pacientes da cidade de Camboriú estavam internados em Hospitais da Região.

A atitude da prefeitura em não divulgar o fim do convênio e não ir atrás da renovação, mas mesmo assim divulgando a “zero ocupação” de leitos que sequer poderiam receber pacientes, em pleno período eleitoral, dá a entender que a situação foi feita propositalmente para não criar “mal estar” na campanha a reeleição do atual prefeito e não revelar a verdade a população.

Três dias após a eleição, uma comitiva do município esteve em Florianópolis para pedir a reabertura dos leitos. Reabertura dos que estavam fechados, desde setembro, conforme o próprio release da prefeitura e esclarecimento da assessoria de imprensa.

Vale lembrar que, embora a unidade não estava recebendo pacientes por baixa demanda em setembro e Camboriú estava com poucos pacientes internados, toda a região já registrava crescimento no número de infectados.

O “Agora, devido ao aumento expressivo dos casos” usado pela assessoria de imprensa no dia 22 de novembro, na verdade está acontecendo desde outubro. Mas a prefeitura só se atentou a isso 3 dias após a eleição.