Lula é acusado pela Ucrânia de promover “narrativa consonante com propaganda russa”

(Foto: Poder 360/Divulgação)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato à Presidência da República nas eleições deste ano, foi incluído pelo governo da Ucrânia em uma lista de “oradores que promovem narrativas consonantes com a propaganda russa”.

A Ucrânia e a Rússia estão em guerra desde 24 de fevereiro deste ano, quando o segundo país invadiu o vizinho. A lista em que consta o nome de Lula foi publicada pelo Centro de Combate à Desinformação, do Conselho de Segurança e Defesa Nacional ucraniano.

Além do petista, 75 pessoas — de diferentes países — foram incluídas nela. O governo da Ucrânia justifica a presença do ex-presidente brasileiro, única pessoa da nação sul-americana na listagem, citando duas declarações atribuídas ao petista: “A Rússia deve liderar a nova ordem mundial’”; e “Esse cara [o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelesnky] é tão responsável [pela guerra] quanto o Putin”.

A segunda foi dada em entrevista a revista norte-americana Time; após a divulgação, em maio deste ano, o principal conselheiro de Zelensky, Mykhailo Podolyak, utilizou as redes sociais para criticar a fala do petista, e a Embaixada da Ucrânia no Brasil informou que pretendia marcar uma reunião com Lula.

A lista do Centro de Combate à Desinformação pode ser conferida na íntegra clicando aqui.

Publicidade