Lula faz política no velório do neto e é repreendido por Delegado da PF

‘Arthur, vou provar a minha inocência e quando eu for para o céu, vou levar meu diploma de inocente’ disse o ex-presidente diante do corpo do neto.

O ex-presidente Lula participou do velório do neto Arthur Araújo Lula da Silva, de 7 anos, neste sábado, 2, após autorização da Justiça Federal do Paraná. Durante a cerimônia, o ex-presidente prometeu ao neto que ‘vai cuidar da família e de todos nós que vamos ficar aqui’.

“O Arthur foi um menino que sofreu muito bullying na escola, porque era neto do Lula. Por isso, eu tenho um compromisso com você, Arthur, eu vou provar a minha inocência e quando eu for para o céu, eu vou levando o meu diploma de inocente”, afirmou, de acordo com relatos de pessoas presentes na cerimônia.

“Vou provar quem é ladrão neste País e quem não é. Quem me condenou não pode olhar nos olhos dos netos como eu olhava para você.”

Segundo relatos, Lula chorou muito durante a cerimônia, da qual participaram dois pastores metodistas e um padre católico, e consolou o filho Sandro Luis Lula da Silva e a nora Marlene Araújo. O ex-presidente ficou mais de 30 minutos recebendo cumprimentos de mais de 100 pessoas.

Ao deixar o cemitério, Lula subiu no carro da PF e acenou para seus apoiadores. Na hora que ele desceu, o delegado da PF disse: “O senhor sabe que não devia ter feito isso.”

“O senhor sabe que eu devia”, respondeu Lula.

O petista saiu de Curitiba, onde está preso na Operação Lava Jato, no começo da manhã para comparecer à cerimônia do neto, que morreu na sexta-feira, 1, vítima de meningite meningocócica. Lula chegou ao velório por volta das 11h e permaneceu no local até as 13h. Lula desembarcou de volta em Curitiba por volta das 15h30.

Durante o tempo em que esteve no cemitério, o ex-presidente recebeu a ligação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. O telefonema foi passado pelo ex-secretário da Presidência Gilberto Carvalho. Entre as dezenas de coroas de flores enviadas à família de Lula, havia uma em nome do presidente venezuelano Nicolás Maduro.

Apoiadores do ex-presidente o esperaram na frente do cemitério Parque da Colina. Eles rezaram um Pai Nosso e homenagearam o neto de Lula com gritos de ‘Arthur presente agora e para sempre’. Na saída, os apoiadores aplaudiram novamente o ex-presidente e gritaram ‘Lula, Lula, olê, olê, olá’ e ‘Polícia Federal, vergonha nacional’.

 

Estadão