Mãe que esfaqueou filha carregava faca dentro da mochila, diz investigação

Após análise de imagens das câmeras de segurança e depoimento de uma testemunha, a Polícia Civil descobriu que a mãe que esfaqueou a filha na orla de Balneário Camboriú, no Litoral Norte, carregava a faca usada no crime dentro da mochila. As informações são do delegado responsável pelo caso, Ícaro Malveira. A filha, de 13 anos, morreu na quinta-feira (12).

A agressão ocorreu no calçadão da Avenida Atlântica em 5 de setembro. Segundo a Polícia Civil, a menina de 13 anos estava envolvida com um vendedor ambulante, de 32 anos.

De acordo com o delegado, “ela [mãe] ficou aguardando os dois na frente do quiosque. Estava bem alterada, estava ingerindo alguma bebida, não sei dizer se era bebida alcoólica. Quando eles chegaram ao local, foi deferindo chutes, socos, gritando”.

Segundo Malveira, o vendedor ambulante se afastou das duas e ficou na lateral do quiosque enquanto mãe e filha brigavam na frente do estabelecimento. “Ela [mãe] puxou essa faca e deferiu um golpe de cima para baixo, atingindo o coração”, afirmou o delegado.

Versões

Para a Guarda Municipal, que atendeu o flagrante, a mãe disse que o alvo dela era o namorado da filha, o vendedor ambulante. Ainda nesta versão, ela disse que a adolescente teria se colocado entre eles para defender o homem.

Na delegacia, no entanto, a mulher falou não ter intenção de atingir a filha ou o namorado, apenas teria desferido golpes no ar por nervosismo.

A mãe chegou a ser presa em flagrante, mas foi liberada em audiência de custódia.

Investigação

O delegado afirmou que aguarda laudos periciais. O exame cadavérico foi feito na tarde desta sexta-feira (13). Com o resultado em mãos, ele vai fazer a análise e avaliar se pede a prisão da mãe.

Ele também espera o laudo do local do crime para concluir o inquérito. Como a filha morreu, agora a mãe deve responder por homicídio qualificado por motivo fútil.

Faca foi apreendida após mãe ser presa suspeita de esfaquear filha — Foto: Guarda Municipal/Divulgação

Faca foi apreendida após mãe ser presa suspeita de esfaquear filha — Foto: Guarda Municipal/Divulgação

Malveira também abriu outro inquérito, para investigar o vendedor ambulante. Ele deve responder por estupro de vulnerável, já que sabia que a adolescente tinha 13 anos e mesmo assim manteve relação com ela. O delegado aguarda o resultado do laudo de conjunção carnal.

Mãe e a filha são de Foz do Iguaçu, no Paraná. Elas vieram para Balneário Camboriú há dois meses e conheceram o vendedor ambulante na orla. Ambas chegaram a ficar na casa do homem, mas depois se mudaram para Bombinhas, também no Litoral Norte catarinense.

Comente Abaixo