Massa de ar frio acabará com onda de calor a partir de

Foto: Pixabay

Ninguém aguenta mais tanto calor e a pergunta que todos se fazem é quando vai acabar este martírio de dias escaldantes e noites muito quentes que já dura quase duas semanas e sem trégua em algumas regiões do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A histórica, longa e poderosa onda de calor vai acabar e será nesta semana com a chegada de uma massa de ar frio, mas antes haverá ainda alguns dias muito quentes.

O território gaúcho está sob influência do que se denomina de domo ou cúpula de calor e que em Inglês é chamada de heat dome. O que é isso? O verão significa clima quente – às vezes perigosamente quente – e ondas de calor extremas se tornaram mais frequentes nas últimas décadas por conta das mudanças climáticas. Às vezes, o calor escaldante fica aprisionado no que é chamado de cúpula de calor.

Áreas de alta pressão, como cúpulas de calor, têm ar descendente (subsidência). Isso comprime o ar em direção ao solo e através da compressão aquece a coluna de ar. Em suma, uma cúpula de calor é criada quando uma área de alta pressão permanece sobre a mesma área por dias ou até semanas, prendendo ar muito quente por baixo assim como uma tampa em uma panela.

A massa de ar quente se expande verticalmente na atmosfera, criando uma cúpula de alta pressão que desvia os sistemas meteorológicos – como frentes frias – ao seu redor. Por isso, uma sequência muito longa de dias com temperatura extremamente alta com marcas muito acima dos padrões históricos e com máximas que em alguns momentos chegaram a ficar até 10ºC acima das normais de janeiro.

Na quarta-feira, uma frente fria começa a ingressar no Rio Grande do Sul com instabilidade pelo Oeste e o Sul, mas diversas regiões gaúchas, especialmente a Metade Norte, além de Santa Catarina e o Paraná, vão estar sob uma condição pré-frontal com corrente de jato em baixos níveis da atmosfera trazendo ar quente e favorecendo intenso calor. Da tarde para a noite, chove em muitos pontos com risco de temporais.

Na quinta-feira, a frente fria avança pelo Rio Grande do Sul e chega aos estados catarinense e paranaense com aumento de nuvens e chuva. Ao mesmo tempo, massa de ar mais frio começa a ingressar no território gaúcho com a sua parte mais intensa sobre o Atlântico, trazendo notável queda de temperatura. É o que explica que muitas cidades devam registrar máximas ao redor ou acima de 40ºC na tarde da quarta para 24 horas depois, na quinta, terem 27ºC ou 28ºC no mesmo horário.

Confira o texto completo no site da MetSul 

Publicidade