Meses quentes aumentam a aparição de animais peçonhentos; conheça as dicas de prevenção

Com o início vindouro da primavera (23/09) e a elevação das temperaturas, aumenta o risco de acidentes com animais peçonhentos. A Vigilância Epidemiológica de Itajaí registrou 65 notificações em 2018 e, até o fim de agosto deste ano, 34 ocorrências foram contabilizadas. Para evitar que o número cresça, a Secretaria Municipal de Saúde alerta para os cuidados necessários.

São considerados animas peçonhentos aqueles que produzem peçonha, o popular veneno, e que podem até matar. Serpentes, escorpiões, aranhas, lagartas e abelhas são os animais que mais causam acidentes no Brasil. Eles podem ser encontrados comumente em locais com acúmulo de entulhos, ambientes úmidos ou secos e em buracos ou frestas.

É válido ressaltar que as medidas de prevenção evitam diversos acidentes. Algumas dicas importantes são:

– Mantenha o quintal, jardim paiol e celeiros sempre limpos;
– Não acumule de lixo e entulhos, principalmente ao redor da residência;
– Vede frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés;
– Evite plantar trepadeiras e bananeiras próximo da residência;
– Ao realizar atividades rurais, de jardinagem e limpeza de paiol ou celeiros, utilize sempre roupas de manga longa, luvas de raspa de couro e botas de cano alto;
– Inspecione roupas e calçados antes de usar;
– Em caso de acampamentos, antes de se instalar inspecione bem o local e evite vegetações densas.

E se o acidente acontecer?

Entretanto, se o acidente ocorrer mesmo com as prevenções realizadas, vale destacar que ações apropriadas ajudam a minimizar o agravo do quadro clínico. Siga as seguintes orientações:

– Lave o local com água e sabão;
– Não coloque nenhuma substância em cima do local;
– Procure atendimento médico o mais rápido possível;
– Se possível leve o animal junto, para identificação;
– Beba bastante água;
– Se estiver sozinho, peça ajuda, alguns venenos podem causar mal-estar, sonolência etc.;
– Não tente “chupar o veneno”, essa ação apenas aumenta as chances de infecção local;
– Mantenha repouso.

O diagnóstico é realizado com base na identificação do animal causador do acidente. Em alguns casos, há recomendação de exame complementar. O tratamento é sintomático e com soro antiveneno, de acordo com cada espécie e com cada situação.

Todos os tratamentos são oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) de maneira integral e gratuita. Procure uma Unidade Básica de Saúde (UBS) próxima para receber o atendimento e encaminhamento adequado.

Comente Abaixo