Mesmo com alta de casos, maioria dos prefeitos da AMFRI não tem um plano

Mesmo diante do desleixo da população que levou a alta de casos, a maioria dos prefeitos da região da AMFRI ainda não tem um posicionamento concreto sobre atitudes a serem adotadas para conter a transmissão do vírus.

A economia já está em frangalhos e as prefeituras tem o desafio de conter a pandemia sem afetar o mercado, ainda mais com a proximidade da temporada de verão. Esse é o maior medo da população e da classe empresarial no geral, prevenir sem precisar sacrificar empregos e o comércio. E isso é possível sim.

A principal maneira de fazer isso é com fiscalização e conscientização. Apertar a fiscalização de estabelecimentos e pessoas que descumprem as regras sanitárias, principal maneira de contágio da doença. A divulgação massiva através de campanhas que propagam as maneiras de prevenção através da higienização correta das mãos e utensílios, bem como o uso de máscaras e distanciamento social, é de suma importância para que os números parem de subir.

Porém, não vemos uma movimentação da maioria das prefeituras neste sentido. O Estado, politicamente dilacerado pela politicagem praticada nos últimos meses, tenta bancar o “bom moço” para melhorar a imagem perante os catarinenses. Tem feito, no máximo, sua obrigação em renovar habilitações de UTI, sem ajuda efetiva aos municípios no controle da pandemia.

O maior exemplo da omissão do Estado na região, é a saúde de Balneário Camboriú que, desde março, não teve NENHUMA ajuda do governo de Santa Catarina, a não ser os 6 respiradores estragados que NUNCA voltaram.

O Portal Visse entrou em contato com as assessorias das principais cidades da AMFRI na manhã desta quarta-feira (2), questionando sobre as medidas que serão adotadas pelas prefeituras no controle da transmissão do vírus e se existe alguma possibilidade de restringir algumas atividades.
A pergunta e as respostas podem ser lidas abaixo (ipisis litteris), sem nenhuma edição, exatamente como a nossa reportagem recebeu, até a publicação desta matéria as 15:30.

Pergunta:

Diante da alta no números e casos registrados na cidade e na região da AMFRI, o governo municipal pensa em apertar as medidas de prevenção como a redução de horário de funcionamento e capacidade de estabelecimentos? Haverá alguma outra medida por parte do município ou o mesmo aguardará posicionamentos do Estado neste sentido?

Respostas:

Balneário Camboriú
“Está sendo avaliado”

Camboriú
“Vou verificar” (11:20)

Itajaí
“Publicamos uma matéria com algumas medidas https://itajai.sc.gov.br/noticia/25894/
Ps: Matéria não tem informações que respondem ao questionamento da reportagem.

Itapema (9981)
“Vou ver certinho e te passo” (11:16)

Porto Belo
“À princípio, aguardaremos os posicionamentos do Estado e na medida que eles forem publicando novos Decretos, vamos adaptando para a realidade da cidade. Todos os passos levarão em consideração a saúde da população e também a economia.”

Bombinhas
“O município está em constante diálogo com o governo Estadual, e também com a Amfri caso haja novas medidas e ações de enfrentamento à pandemia de covid-19.
Hoje nosso trabalho está sendo de orientação. A Secretaria de Turismo, em conjunto com a Secretaria de Saúde, elaborou protocolos específicos para o funcionamento dos setores turísticos da iniciativa privada, incluindo estabelecimentos comerciais e escritórios, agências de turismo, estabelecimentos gastronômicos, imobiliárias e meios de hospedagem.
Também foi uma das primeiras cidades a ter elaborado os protocolos para o uso das praias e para atividades de ambulantes e prestação de serviço de praia, com orientações como a distância entre guarda-sóis, pessoas no mar e demais medidas de segurança.
Nesse momento estamos intensificando as orientações e protocolos, inclusive incentivamos a adesão do selo Turismo Responsável pela iniciativa privada para trabalhar conforme os protocolos do Ministério do Turismo.
É preciso que todos colaborem para a segurança de todos, principalmente os turistas. Por isso a ideia da campanha.
Todos devem estar atentos ao distanciamento social, uso de máscara, higienização frequente das mãos, evitar o compartilhamento de objetos. Também devem procurar atendimento de saúde na Upa 24h caso tenham algum sintoma.
A fiscalização é da Vigilância Sanitária e dos fiscais de temporada.”

Penha
“Vamos aguardar o posicionamento da Amfri, como foi feito aqui”