Ministério Público pede prisão do ex-deputado João Pizzollati

A 1ª Promotoria de Justiça de Blumenau pediu a prisão preventiva do ex-deputado João Pizzolatti nesta quarta-feira (8). Ele cumpria uma medida cautelar que o impedia de dirigir. De acordo com informações do Ministério Público, o político foi flagrado dirigindo em Rio dos Cedros, no dia 29 de abril, com a carteira de habilitação suspensa.

Segundo a promotora Cristina Nakos, que havia pedido a prisão do ex-deputado em 2018, o carro do acusado registrava diversas multas, inclusive por excesso de velocidade. Na época, Pizzolatti argumentou que seu filho estava ao volante e o pedido foi indeferido, por não ter provas suficientes de quem dirigia o veículo.



João Pizzolatti, que também responde processos pela Operação Lava Jato, está proibido de dirigir desde o final de 2017, quando provocou um acidente de trânsito na rodovia SC-108, entre as cidades de Blumenau e Pomerode. Na ocasião, um jovem ficou gravemente ferido. O ex-deputado apresentava sinais de embriaguez, registrados em um vídeo gravado por populares que estavam no local do acidente.

O advogado de Pizzolatti, Fernando Becker, declarou na noite de quarta-feira, que não havia sido notificado sobre o pedido de prisão, que aguarda parecer do juiz.

Com informações da RICTV Record SC.

Comente Abaixo
error: Este conteúdo é protegido. As fontes estão mencionadas no final da matéria.