Miss Camboriú é vítima de ataques racistas nas redes sociais

Sara Eunice, de 21 anos, modelo e Miss Camboriú 2020, sofreu ataques racistas nas redes sociais. Ela participa no próximo dia 30 de outubro do concurso Miss Santa Catarina, que este ano será todo online. Sara começou a receber mensagens ofensivas afirmando que ela não merece o título por ser negra.

Os ataques começaram pelo Instagram e depois se estenderam ao seu WhatsApp pessoal. Junto com as fotos dela foram postadas frases racistas. “Como pode uma negra tentar ganhar esse concurso”, “negros não” e “nem que você morra por isso, tu já perdeu”, diziam os posts criminosos.

As mensagens teriam sido enviadas do celular do namorado de uma outra candidata ao Miss Santa Catarina. “E quero deixar claro que o ataque não foi só comigo,  houve ofensas com as outras candidatas, só que no meu caso foi através de racismo forte”, narra.

Outras candidatas do concurso receberam mensagens  no aplicativo de WhatsApp com acusações sobre supostos pagamentos de subornos aos jurados.

Sara conta que entrou em contato com o ofensor. O namorado da candidata e a própria adversária teriam dito que  tiveram o celular clonado e que as mensagens teriam sido enviadas por desconhecidos. “A justiça será feita. Vamos descobrir quem está por trás disso tudo”, espera Sara.

A Miss Camboriú vai registrar um boletim de ocorrência na polícia Civil denunciando o racismo sofrido. “Um absurdo como isso ainda pode acontecer em pleno século 21, com pessoas tentando impor um padrão de beleza através da cor e raça”, lamenta Sara.

Racismo é crime tipificado pela Lei 7716. A pena pode chegar a cinco anos de prisão, além de prever também o pagamento de multa.

A candidata e o namorado que são acusados de racismo disseram à reportagem que não são os responsáveis pelas mensagens e que o caso já está sendo investigado pela polícia Civil.

Diarinho

Comente Abaixo