Morre Edinho Olegário, ex-prefeito de Camboriú

Edson Olegário, o Edinho, morreu após um acidente de trânsito na madrugada desta quarta-feira, 09, em Camboriú, onde foi prefeito entre 2005 e 2008.

O veículo que Edinho conduzia, uma Hilux, bateu contra um poste na Estrada Geral dos Macacos, próximo ao Condomínio Caledônia. Edinho, que completaria 57 anos nesta quarta-feira, faleceu no local, no dia de seu aniversário.

A suspeita é que ele tenha sofrido um mal súbito ao volante e perdido a condução do veículo. A morte pode ter ocorrido em decorrência do mal súbito e não do acidente, já que ele aparentemente não sofreu ferimentos graves.

Edinho estava sozinho no carro e voltava de um ferino no seu sítio no interior da cidade. A perícia deve confirmar a causa da morte.

O velório está acontecendo no Pavilhão do Gideões Missionários da Última Hora, anexo a Igreja Assembléia de Deus sede na R. Joaquim Nunes, 244 – Centro
O sepultamento será amanha (10), ás 9h, no cemitério Central.

Biografia de Edinho

Edson Olegário nasceu em 9 de outubro de 1962, no bairro do Cedro (antigo Lídia Duarte) em Camboriú. Filho de Nélio Olegário e Anacleta Matheus Olegário, o terceiro de sete filhos. Edinho, como é chamado popularmente, trabalhou durante sua infância na fábrica de balas de banana do pai e saiu de casa aos 12 anos de idade. Sem estudos, trabalhou em uma lavação de carros e mais tarde montou sua própria lavação de carros.

Em 2004, se elegeu prefeito de Camboriú pelo PSDB, mas teve uma vida política bastante conturbada, suspeito de ser mandante de uma série de atentados contra vereadores de oposição, durante o período em que esteve como prefeito.

Em 2008, Edinho tentaria a reeleição mas teve sua candidatura impugnada. Assim, Luzia Coppi Mahias, a então candidata a vice na chapa de Edinho, foi lançada a titular da campanha, tendo como vice o então secretário de saúde Milton Antônio. Com o resultado das eleições Luzia se torna a primeira mulher a governar o município de Camboriú.

Em 2010, Olegário teve prisão preventiva decretada por ser suspeito de ser o principal responsável pelo assassinato de Eneri Antonio de Souza. O verdadeiro alvo do atirador era o irmão de Eneri, Ângelo de Souza, vereador encarregado da CPI que investigava superfaturamento em obras no Município de Camboriú, durante a gestão de Edinho.
Caso na qual ele seria julgado no final deste mês de outubro.

Nas eleições municipais de 2012, lançou-se candidato mais uma vez a prefeitura de Camboriú, desta vez pelo PDT, concorrendo contra Luzia Coppi Mathias, que conquistou a reeleição.

Em 2014, mais uma vez, tentou retomar sua carreira política, se candidatando ao cargo deputado estadual por Santa Catarina, mas não chegou nem perto de ser eleito.

Recentemente, em entrevistas, Edinho externava sua vontade de voltar a administrar Camboriú, sendo um possível pré-candidato para as eleições de 2020.

O ex-prefeito deixa esposa Pâmela e os três filhos Gustavo, Marcelo e Fabiano.

 

Texto: Camboriu.news 

Comente Abaixo