Morre Gustavo Bebianno, ex-secretário geral da Presidência e coordenador de campanha de Bolsonaro

Um infarto fulminante matou Gustavo Bebianno, 56 anos, na madrugada deste sábado. A informação é do presidente estadual do PSDB do Rio de Janeiro, Paulo Marinho. Bebianno foi secretário geral de Jair Bolsonaro, coordenador da campanha política presidencial e agora pré-candidato à prefeitura do Rio de Janeiro.

Bebianno estava em seu sítio em Teresópolis junto de um caseiro e seu filho. Por volta das 4h30, ele avisou ao filho que passava mal e foi pro banheiro tomar um remédio. Minutos depois ele caiu e teve alguns ferimentos na cabeça. Ele chegou a ser levado para o hospital da cidade, mas não resistiu.

Paulo Marinho informa que o corpo do amigo será velado em uma capela vizinha ao sítio onde Bebianno faleceu. Ele deixa a mulher e dois filhos.

Em 2014, Bebianno se colocou à disposição de Bolsonaro com seus serviços como advogado. Ele assumiu a função em 2017, quando o capitão começou manifestar interesse em concorrer à Presidência.

Bolsonaro, em 2018, pediu que Bebianno assumisse a presidência do PSL e a coordenação da campanha à presidente. Após a vitória, ele foi anunciado como secretário-geral da Presidência.

Em 18 de fevereiro de 2019, Bebianno foi exonerado do cargo, após vir à tona o escândalo de candidaturas laranjas por parte do PSL.

Ano passado, ele se filiou ao PSDB, partido pelo qual queria disputar o cargo de prefeito do Rio de Janeiro. Ele rompeu relações com o presidente depois de ter brigado com os filhos de Bolsonaro.

Comente Abaixo