Mudança de nome de creche gera protesto de comunidade e professores no São Judas

Amudança de nome do núcleo de Educação Infantil (NEI) Rio das Ostras, no bairro São Judas Tadeu, em Balneário Camboriú, para ‘Professora Amélia Santos Victor’ desagradou alguns professores e pais de alunos. A alteração foi feita a partir de projeto do vereador Asinil Medeiros (PL), já sancionado pelo prefeito Fabrício Oliveira (PSB). O parlamentar diz que o objetivo foi homenagear uma professora de família tradicional do bairro da Barra, que morreu em abril desse ano.

A creche fica na rua Pedro Pinto Felipe, entre o rio das Ostras e a avenida Hermógenes da Silva Feijó. Em manifesto contra a mudança, a professora de Educação Infantil, Izadora Fernandes Ribas, questionou os motivos da alteração e criticou que a troca não foi discutida com a comunidade. Ela destacou que o nome da unidade leva em conta a relação que a creche tem com o rio e com as famílias que atende.

O nome ‘Rio das Ostras’ é registrado em decreto de 2008, que criou a creche, à época situada na rua Maria Maurício Pereira, perto do local atual. A professora Izadora lembra que a unidade foi construída pra atender as comunidades do “outro lado do rio Camboriú”, incluindo Barra, São Judas Tadeu e loteamento Conceição. Hoje, a creche atende 300 crianças, de zero a cinco anos.

Identidade do grupo

Ela destaca que o currículo da creche leva em conta ações de contemplação, conscientização ambiental e atividades ligadas ao rio. A professora ainda observa que as crianças tem uma relação com o rio, por morar nas margens, por ter feito passeios, por visitar plantações ou por fazer o recolhimento de lixo no afluente. “Nessa escola pulsa a vida do rio que a nomeia”, defende a professora.

Um movimento tá sendo organizado na creche contestando a alteração. “Como se explica a estas crianças e aquelas que já cresceram que sua escola mudou de nome, sem nem mesmo haver uma roda de conversa?”, questiona. “Não queremos mudar nosso nome. Temos história, a valorizamos, somos parte desta escola e temos orio como nossa referência”, completa.

Reunião com comunidade

O vereador Asinil Medeiros defendeu que a ideia foi homenagear a professora Amélia Santos Victor, nascida no bairro da Barra e com uma carreira dedicada à educação e à alfabetização de crianças.

O parlamentar destacou que o pedido partiu da família da professora, pra que o nome fosse pra alguma escola do bairro. “Era uma professora que ajudou muito a comunidade”, argumenta o vereador.

Ele destaca que na época de Amélia, a Barra era uma região só, incluindo o bairro São Judas. Asinil explicou que a creche do Rio das Ostras foi escolhida porque a unidade não tinha um nome próprio, apenas a denominação trazida pelo antigo decreto que criava a instituição.

Em nota, a secretária de Educação informou que ficou sabendo do descontentamento da comunidade e ressaltou que a proposta de troca de nome foi de um vereador. “A secretaria de Educação vai promover uma reunião junto com o vereador e a comunidade escolar para que apresentem suas demandas ao vereador”, disse ainda a secretária.

Comente Abaixo