Mulher agredida poderá pedir decretação imediata de divórcio

O deputado Luiz Lima (PSL-RJ) apresentou na Câmara Projeto de Lei que ser for aprovado vai permitir à vítima de violência doméstica solicitar ao juiz a decretação imediata do divórcio ou rompimento da união estável.

A Lei Maria da Penha já prevê  a proibição do contato com a vítima ou aproximação dela. Pesquisa revela que 536 mulheres foram agredidas por hora em 2018

Ex-nadador olímpico e ex-secretário nacional de esportes de Alto Rendimento,  Luiz Lima defende ações que facilitem com rapidez o fim do vínculo da mulher e da família com o companheiro agressor.

536 mulheres foram agredidas por hora em 2018

Um estudo realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública aponta que 536 mulheres foram vítimas de agressão física a cada hora no último ano no Brasil. A pesquisa “Visível e Invisível – A vitimização de Mulheres no Brasil, divulgada nesta terça-feira (26), revela também que a maioria das vítimas (52%) de violência doméstica não buscou apoio de famílias, amigos ou autoridades após sofrer a violencia.

A pesquisadora do Fórum, Cristina Neme, afirma que apesar dos avanços na legislação, os índices de violência contra a mulher permanecem altos. “Apesar dos retrocessos atuais na discussão pública sobre gênero, o país avançou na legislação, há uma história de avanços. No entanto, o padrão da vitimização ainda é alto”, diz a especialista.

As agressões ocorrem de diferentes formas. De acordo com o estudo, 12,5 milhões de mulheres sofreram ofensas verbais, como insulto, humilhação ou xingamento, 4,6 milhões (nove por minuto) foram tocadas ou agredidas fisicamente por motivos sexuais. E 1,6 milhão (três por minuto) sofreram tentativas de espancamentos ou estrangulamento.