Nebulosidades dos últimos acontecimentos

Ferveu em Floripa a última coluna que trazia algumas “coincidências” relacionadas a licitação do Centro de Eventos de Balneário Camboriú. Além de detalhes sobre os representantes das empresas que compõe o único consórcio participante, a coluna trouxe a ligação dos mesmos com políticos da nossa região.

Repercussão 

Teve deputado que falou do assunto, falou da “imprensa”, mas não foi capaz de citar o nome do jornalista e do site que publicou o material. O mais legal foi dizer que o gabinete apurou fatos. Os mesmos fatos que estão descritos na matéria. Que feio.

Aliás, surpreendentemente, o ÚNICO a falar do assunto. Teve um que ao invés de focar no assunto, preferiu partir para o lado político e atacar um dos deputados que falou do assunto. Os demais veículos de comunicação, tirando a Menina FM que falou da minha coluna, ficaram quietinhos sobre o assunto, não sei porquê. Estranho.

Clima tenso

Já diria Galvão Buenos em jogos da seleção, “Vai se criando um clima terrível” na Câmara de Balneário Camboriú com o falatório envolvendo a nomeação da primeira dama de Camboriú na Câmara de BC. Teve entra e sai em gabinete, reunião com assessor e caras não muito contentes. Fazer o que? Jornalismo é levar a informação. Neste caso, foi também um desabafo.

Clima tenso II

Repito o que falei na segunda-feira. Sempre gostei do Gelson, mas não posso compactuar com isso e tive que me manifestar. Afinal, apoiei o vereador e pedi voto para ele. Tive que me posicionar sobre o assunto. Foi-se, deu, acabou.

Guias de Turismo

Por falar em votos para o Gelson, teve uma turma que pedi apoio para o parlamentar e agora está feliz com o vereador. A presença de um guia de turismo em ônibus de excursão em Balneário Camboriú agora é obrigado por lei. O projeto do vereador Gelson foi aprovado na Câmara e a categoria, agradecida, está feliz da vida. Lucas Gotardo votou contra.

Vidros e vidraças

A Prefeitura anunciou esta semana que a Secretaria do Meio Ambiente vai adesivar os vidros para evitar acidente com pássaros. Eu discordo. Acho que deveriam procurar outras maneiras de proteger os bichinhos e deixar os vidros limpos. Os vidros da secretaria tem que ser transparente, para ver quem entra, quem sai, quem fica e quem frequenta. A Secretaria do Meio Ambiente precisa ser transparente no seu administrativo, para todo mundo ver. Rs.

A atitude é ótima, o que estragou foi a mentira
(trecho da coluna Ácido Úrico do no Portal Menina, confira na íntegra)

Há alguns dias, a prefeitura de Camboriú publicou release, fotos e vídeos sobre a manutenção de uma escavadeira feita por servidores da própria secretaria de obras. A iniciativa foi show de bola e realmente torna menos burocrático e mais rápido esse tipo de conserto. Legal.

O problema foi justamente o carnaval feito em cima disso tudo. E claro, o quanto mentiram para inflar os números. Que feio.

Segundo o texto e o vídeo, o conserto da coroa de giro do equipamento foi orçado em 174 mil reais. Segundo o mesmo texto, somente a peça teria sido orçada em 134 mil reais. O assunto me chamou atenção e fui atrás dessas informações. Não cheguei a cotar a mão de obra da troca, mas o preço da peça é bem diferente do que divulgado pela prefeitura. Mesmo porque essa mesma escavadeira, ano 2014, pode ser encontrada por aproximadamente 300 mil reais. Em uma autorizada New Holland em São José, a peça foi orçada em 64 mil reais, nova, importada direto da fábrica. Em uma empresa que vende peças usadas em São Paulo, a mesma peça, em bom estado, foi orçada em 25 mil reales.

Foi uma boa atitude? Sim, foi. Gerou economia? Sim, gerou. Mas não precisa mentir para divulgar isso. Que coisa feia!


 

Nebulosidades dos últimos acontecimentos
Poucas e Boas – Por Gian Del Sent